Translate

09/11/2010

Mãe Borderline - Depoimento de um Filho

O amor da minha mãe por mim era condicional. 

Quando eu não fazia o que pretendia fazer – pequenas tarefas ou tanto faz – ela costumava enfurecer-se, derrubar-me e dizia que eu era uma criança horrível que nunca teria qualquer amigo. 

Mas quando ela precisava de amor, ela costumava ficar carinhosa e abraçava-me e falava sobre como éramos próximos. 
Nesse respeito nunca teve qualquer modo de predizer com qual humor ela estaria.

Minha mãe parecia ofender-se quando uma pessoa qualquer parecia ocupar muito do meu tempo e da minha energia. 
Ela era igualmente ciumenta em relação ao nosso cachorro, Snoopy, que eu amava mais do que qualquer pessoa. 

Um dia eu estava abraçado com Snoopy e ela veio em nossa direção  e começou a gritar que eu não tinha vida porque tudo que eu fazia era sentar dentro de casa e mimar o cachorro. 

Eu sempre pensei que eu era o único que tinha feito alguma coisa errada – ou eu pensava que eu era uma pessoa má.

Ela tomava a si mesma para corrigir-me por dizer constantemente a mim como eu precisava mudar. Ela procurava alguma coisa errada com meu cabelo, meus amigos, meus modos à mesa, e minha atitude. 
Ela parecia exagerar e mentir para justificar suas afirmações. 

Quando meu pai reclamava, ela rejeitava-o por fazer um simples sinal com a mão. 
Mas ela sempre tinha o direito.

Através dos anos, eu tentei satisfazer suas expectativas. 

Mas quando finalmente conseguia, elas mudavam. 
Apesar dos anos de ardentes críticas, eu nunca cheguei a acostumar com isso.

Eu me torno insensível por dentro quando alguém – especialmente uma mulher – começa a criticar-me.
Hoje, tenho problemas em me aproximar das pessoas. E não consigo acreditar em ninguém completamente – nem mesmo em minha esposa. 

Quando eu me sinto especialmente próximo dela, eu reforço a mim mesmo para a inevitável rejeição que eu sei que virá. 
Se ela não faz nada que eu possa classificar como rejeição, eu irei rejeitá-la de algum modo – tipo ficando furioso com ela por qualquer coisa estúpida.

No fundo, eu sei o que está acontecendo. 
Mas me sinto impotente para mudar isso.

(fonte: trecho extraído do livro Stop Walking on Eggshells)

19 comentários:

Sandra disse...

Como eu sei o que isso é... A minha mãe é assim mesmo... E eu sinto-me exactamente da mesma maneira...Bj

Reflexões Borderline disse...

Sandra, se quiser compartilhar sua história conosco, fique a vontade.

bjos

Anônimo disse...

minha mãe e irmã são assim, passei a minha vida toda achando que eu era louca e malvada...nossa que bom encontrar voces!!!

Wally disse...

Anônimo, e elas não se tratam?

Anônimo disse...

Quando li esse depoimento chorei muito.
Comigo é desse mesmo jeito,as vezes pior.
Mas minha mãe recusa todo e qualquer tipo de tratamento alegando estar bem.
Não sei o que fazer.

Wally disse...

Infelizmente não há muito o que se fazer quando a pessoa nega que há um problema e nega que precisa de ajuda =/
Sinto muito.
Isso é muito triste.
Além de a pessoa levar uma vida miserável, também torna miserável a vida dos que convivem com ela.
E é uma pena visto que não precisava ser assim...

Anônimo disse...

Minha mãe é assim... hoje ela deu mais um dos seus "pitis" e como me senti destruida procurei na internet por "mães borderlines" e achei esse site. Eu simplesmente precisava ler outras experiências que me tragam para a luz nos momentos de caos. Saber que outras pessoas também passam por isso me faz sentir menos errada e culpada. Hoje entendo que isso é uma doença, um transtorno de personalidade mas preciso cuidar de mim! Obrigada... eu realmente precisava desabafar!

Anônimo disse...

Minha gente, só quem tem uma mãe borderline sabe o sofrimento que passamos. A minha é totalmente louca... totalmente....muito agressiva e intolerante. Em um minuto está super carinhosa...em outro está cruel ..e capaz de destruir-me como nada nem ninguém seria capaz...Até tapa na cara já levei em um de seus pitis. Minha família sofre muito... Tenho muita dó do meu pai.ele é constantemente agredido por ela psicologica e fisicamnete. Não tenho amigos...todos que tive, desde criança tinham defeitos e minha mãe me obrigava a me afastar deles. Sofro as consequncia disso até hoje. Peço a Deus por um milagre.

Wally disse...

Sinto muito pelo que você e sua família sofre, anônimo. Mas a verdade é que não há milagres.
Se ela não se tratar, e se tratar de verdade, apropriadamente, esse martírio vai continuar, infelizmente.
Portanto tente uma maneira de fazer com que o tratamento seja possível. Só assim vocês poderão sair dessa tortura.

Boa sorte!!

Anônimo disse...

Borderlines atacam e se defendem o tempo todo.Elas acham que o mundo conspira contra elas...Que pena...Que Deus as proteja...

Dylfly

BRW disse...

Minha mãe é tudo isso que li anteriormente. Graças à Deus saí de casa, os meus irmãos também, ninguém aguenta mais!!! Ela não aceita tratamento e se a gente toca nesse assunto ela diz que a gente está chamando ela de louca e piora ainda mais a nossa vida! Faz mais de 1 ano que não falo com ela e nem quero ver... e o pior é que moro vizinho a ela. Não tenho raiva, apenas me sinto péssima só de ouvir a voz dela. Fico com as mãos geladas, dor de barriga e tremendo... traumatizei de vez!

Wally disse...

Sinto muito BRW.

Mas de fato, se ela não aceita que tem um problema e não aceita ajuda, como se pode ajuda-la, não é mesmo? O sofrimento que há nela acaba se espalhando para todos os lados.

Você tem que cuidar de você agora.

Bjos

Clara disse...

Exatamente assim me sinto... Minha mae adotiva é border. A amo muito, mas em alguns momentos tenho vontade de sumir, morrer! Desde pequena, nada do q eu fazia era certo. Meu cabelo era ruim, meu nariz era feio e se eu nao mudasse minhas atitudes, eu nunca conseguiria ter amigos ou um marido. Amigos...ela sempre os odiou, qd eu estava namorando minha vida virava um inferno...ela sempre criava uma historia... Dizia que ficou sabendo q era um drogado, mal carater.... Virava uma loucura minha vida e eu terminava. Assim foi por muito tempo, ate que sai de casa pra fazer faculdade... Obvio que o curso ela escolheu... Minha filha tem que fazer medicina. E qd sai... Tudo piorou... Parecia q ela nao ficava feliz em me ver feliz.... Fazendo amigos, aprendendo coisas novas. Brigavamos muito e ambas sofriam. Hoje, estou casada, tenho uma filha. Os conflitos nao sao tao frequentes, moramos em cidades diferentes. Mas ora ela odeia meu marido, ora ama. Ora ama a familia dela, ora odeia. Vive enchendo minha cabeça. Quando engravidei, ela dizia : eu nao queria ter q ver vc gravida!
Falando assim, parece q sempre é ma relacao ruim... Oq nao é verdade. Tivemos ons momentos, mais esses ons momentos sao as custas de " fazer, dizer e agir" como eu quero e penso.
Estamos passando por um momento delicado, descobrimos que ela está com cancer. Eu estou muito triste e tentando fazer o melhor... Mas as vezes, le se quase sempre, ela nao coopera. Está muito dificil e pesado pra mim.

Anônimo disse...

sinto muito a todos vc..Sou uma mae Borderline.eu sofro muito e chorei quando li seus deoimentos....n tem como descrever a dor.n quero meus filhos escrevendo isso de mim no futuro...Eu os amo.mas tbem n sou malvada de n deixar meus filhos terem amigos,mas n aguento mais minha filha doito anos me ver chorar.Chorar.Sou muito boazinha e carinhosa quando tudo esta bem,,,,faço um esforço enorme todos os dias...meu marido me abandonou já///sou condenada a viver nesse inferno ...eu n quero levar meus filhos junto...mas meu ex marido n quer as criançaS...e eu n quero q eles sofram tanto como sofri qdo criança...sendo meus sonhos destruidos or maus tratos e invalidaçao vindo de meus genitores.....e esta sou eu hoje..viajando sem fim , tentando encontrar uma resosta e n ENTENDO Q VCS NOS ODEIAM TANTO?FOMOS CRIaNÇAS TB...FOMOS ALEGRES, GENTIS, SONHADORAS,FOMOS TUDO ISSO, MAS VCS TB O SÀO....E N MERECEM , ALIAS,,,NINGUEM MERECE ....Q DEUS CUIDE DE TODOS NÓS.....OBRIGADA.

Anônimo disse...

Minha mãe é exatamente assim, é histriônica. Chorei quando li esse texto, parece a minha própria vida. Minha mãe é a pessoa mais egoísta do mundo. Destruiu minha vida e meus sonhos várias vezes, com suas mentiras, calúnias, fofocas, agressividade, para, logo após, vir toda carinhosa, me abraçando e chorando, dizendo que eu era a vida dela. O que fazia na realidade era me deixar quase louca. Com esse teatrinho me enganou por 26 anos, até que descobri com ajuda de uma pessoa (para quem ela me difamou horrivelmente) que jogava contra mim e fazia tudo para me destruir, na realidade é muito invejosa, egoísta, falsa e má. Apanhei muito, levei muito tapa no rosto (até os 26 anos de idade), sempre fui muito criticada, nada do que fazia era bom. Hoje, GRAÇAS A DEUS!, vivo longe dela e sei que tenho que ter o maior cuidado, porque se bobear, ela tenta me destruir novamente. Mas creio em DEUS que não permitirá isso.

Anônimo disse...

Oi

Mirela disse...

Olha a ambivalencia da mãe border q postou ali! eu ri e senti raiva dela. pelo amor q trauma!

Anônimo disse...

Não tenho certeza do q sou realmente.Faço terapia há mais de três anos me vigio o tempo inteiro em relação a minha filha marido meus pais .Muitas vezes engulo todas as falas e aborrecimentos deles com medo de ser agressiva demais.Mas é tão enorme a raiva que dá vontade de sair correndo. Muitas vezes vou tomar banhos e choro até me acalmar.Com minha filha piso em ovos , mas tenho certeza que não consigo esconder tudo o tempo todo, vivo aconselhando pra ela ser amiga de várias pessoas, digo que sou ciumenta que isso é uma coisa ruim.Com meu marido vivo me dizendo que ele gosta de mim senão não estaria comigo.Se algo me desagrada calo e respiro como a terapeuta me ensinou.Sou o pato Donald .Sofro muito guardo sentimentos só pra mim, tenho medo do futuro quero que minha filha seja feliz livre pra suas escolhas.Já fui traído não consigo perdoar, foi ele que contou poupei nossa filha, infelizmente desencadeou brigas desproporcionais fiquei assustada e tenho total consciência do que não fazer. Será que conseguirei equilibrar-me um dia semtanta vigilância?? Estou exausta ...

Marina do Espírito santo de Andrade disse...

Boa noite,

Eu me identifiquei a cada leitura que fiz de vocês. Sou psicóloga formada e trabalhei seis anos com saúde mental. Me ajudou a entender uma mãe comprometida. Não me preocupo com o diagnóstico dela, sabendo que possui características fortes de uma histérica, borderline... enfim.... é muito difícil. Ela se trata, mas busca profissionais que não a percebem de verdade. Eu tive muitas dificuldades e continuo tendo, nas relações amorosas, no social, trabalho... é como se eu tentasse muito construir uma coisa e falhar no final, então escuto da própria que a minha vida é uma mentira, eu sou mentirosa, falsa... ela surtou quando eu me formei.
Os homens, nenhum presta pra mim, meus amigos, todos falsos e problemáticos e me pune até hoje se ela escuta um NÃO de mim. Divido o carro com ela, eu passo a depender de ônibus... é sempre assim, vivo nesta corda bamba... confesso sentir muita raiva e dores físicas.... me comprometo demais..
Meu irmão embarca na doença dela e cai em cima de mim, mesmo morando longe, ela liga pra ele e ficam falando horrores de mim.
Eu me conforto pensado que ela tem uma doença e o quanto eu lutei pra preservar minha saúde mental.

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...