Translate

31/12/2012

A História do Ano Novo

O ano-novo se consolidou na maioria dos países há 500 anos. 

Desde os calendários babilônicos (2.800 a.C.) até o calendário gregoriano, o réveillon mudou muitas vezes de data.

A primeira comemoração, chamada de "Festival de ano-novo" ocorreu na Mesopotâmia por volta de 2.000 a. C. 
Na Babilônia, a festa começava na ocasião da lua nova indicando o equinócio da primavera, ou seja, um dos momentos em que o Sol se aproxima da linha do Equador onde os dias e noites tem a mesma duração.

No calendário atual, isto ocorre em meados de março (mais precisamente em 19 de março, data que os espiritualistas comemoram o ano-novo esotérico).

Os assírios, persas, fenícios e egípcios comemoravam o ano-novo no mês de setembro (dia 23). Já os gregos, celebravam o início de um novo ciclo entre os dias 21 ou 22 do mês de dezembro.

Os romanos foram os primeiros a estabelecerem um dia no calendário para a comemoração desta grande festa (753 a.C. - 476 d.C.) 

O ano começava em 1º de março, mas foi trocado em 153 a. C. para 1º de janeiro e mantido no calendário juliano, adotado em 46 a. C. 

Em 1582 a Igreja consolidou a comemoração, quando adotou o calendário gregoriano.
(fonte: MiniWeb Educação)

25/12/2012

História do Natal Digital

Como as Redes Sociais, a web e o mobile contam a História da Natividade.

O Natal através do Facebook, Twitter, YouTube, Google, Wikipedia,  Google Maps, GMail, etc.

21/12/2012

Ambiguidade Sexual - Nem Homem, Nem Mulher


Dar a luz a um bebê com sexo indefinido pode ser assustador e confuso!

Há cerca de 20 distúrbios que rompem a divisão entre masculino e feminino.

Este interessante documentário apresenta as histórias de pessoas que nasceram com um "intersexo" - nem inteiramente homem nem mulher - questionando se nossa compreensão tradicional dos gêneros está correta.


17/12/2012

Existe Relação entre Criança Adotada e TPB?


Da série: Comentários que Merecem Destaque
Comentário feito nessa postagem aqui.

Anonimo, um novo estudo afirma que filhos adotivos possuem quase o dobro da possibilidade de, na adolescência, desenvolver problemas comportamentais ou emocionais. 

O estudo também abre a questão sobre o que estaria por trás desse risco acentuado: Os pais adotivos ou a genética? 

Apesar disso a pesquisadora afirma que não há nada nestes resultados que deva desencorajar a adoção. “Todos os adolescentes lutam para encontrar sua identidade”, disse Margaret. “Faz sentido que as crianças adotadas tenham que lutar mais do que as outros.” (ref:Time)

Então há a possibilidade de a criança adotada desenvolver um transtorno de personalidade, inclusive o TPB. Mas isso não é uma regra.

Segundo lemos na matéria Destino das Crianças Adotadas, muitos psicólogos , psiquiatras  e psicanalistas  já   estudaram  "os ferimentos  das crianças adotadas e as dificuldades das familias adotantes. 

Mas o que se passa com essas crianças quando alcançam a idade adulta? Uma possibilidade é que a ferida original, provocada pelo  abandono, cicatrize graças ao amor da família adotiva e ao sentimento de filiação que ela engendra".

Outra possibilidade é que  "os segredos de famílias tornem as feridas ainda mais dolorosas e lancinantes"

Para os que foram adotados,  a questão é melindrosa. Muitos temem nunca poderem se livrar  da etiqueta de criança abandonada. "Como se a sociedade considerassem-nos como   seres diferentes,marcados na carne  com ferro quente."

Diane Drory, psicóloga, psicanalista co-autora com  Colette Frère do livro Le Complexe de Moïse. Paroles d'adoptés devenus adultes (O Complexo de Moisés. Palavras de adotados que se tornaram adultos) , realça a importância de não se estigmatizar as pessoas adotadas. "Se elas puderam superar as duras  provas da adoção, foi graças a incrivel energia vital que possuem. É preciso  ter muita  confiança nelas , não considerá-las como vítimas. E não atribuir-lhes todas as dificuldades que encontram na adoção."

A questão das origens pode ressurgir com muita força, quando ocorrem certos acontecimentos na  vida destas pessoas: nascimentos, luto, fracasso  profissional, ruptura  amorosa...  No livro, L’enfant et la séparations parentale’’, Diane DRORY descreve  O  complexo de Moisés., Ela  conta o exemplo de Marie-Claire, que  sentiu muito a  ausência de sua mãe biológica quando ela ficou grávida.

De fato, os adotados  evocam com muita dificuldades o que ressentem. A  resiliência, esta capacidade das pessoas a se recobrar ou se adaptar às provações da vida, depende também da criatividade.  

Entretanto,  a resiliência  não é adquirida de maneira definitiva. Nossa identidade está sempre em construção. "A resiliência do adotado  é sem dúvida a aceitação, como todo o mundo, que a identidade é  movediça", salienta ainda  Diane Drory. 

"A ferida do abandono deu-me muita força", revindica Hélène Jayet. É esta força que dá uma grande sensibilidade aos adotados  e uma abertura  ao  mundo.



01/12/2012

Novo Sistema de Diagnóstico Pode Ser Adotado


Neste fim de semana o comitê de administração da Associação Psiquiátrica Americana votará sobre se deve adotar ou não um novo sistema de diagnóstico para algumas das síndromes mais sérias e impactantes da medicina: os transtornos de personalidade.
Em sua plenitude, esses transtornos são difíceis de se caracterizar e tratar, e os médicos raramente fazem avaliações com a devida atenção, perdendo ou menosprezando padrões de comportamento subjacentes a problemas como depressão e ansiedade em milhões de pessoas.
“Manipulatividade”, “histrionismo” e “insensibilidade”
estão entre as quatro características avaliadas num indivíduo com transtorno de personalidade narcisista, na nova proposta de diagnóstico. As definições atuais incluem nove elementos possíveis.
A nova proposta – uma parte dos esforços da associação psiquiátrica, que duram muitos anos já, para atualizar o seu influente manual de diagnóstico – deverá esclarecer esses diagnósticos e integrá-los melhor à prática clínica, para estender e melhorar os tratamentos. Mas esses esforços já encontraram tanta oposição que provavelmente serão relegados a uma posição marginal no manual, se é que serão permitidos.
O exercício forçou os psiquiatras a confrontarem uma das questões mais elementares – e, apesar disso, ainda não resolvidas – da área: o que é exatamente um problema de personalidade?
Não era para essa pergunta ser tão difícil, mas parece que produzir definições precisas e duradouras de padrões extremos de comportamento é um trabalho sem fim. Demorou mais de uma década de observação de pacientes para que o psiquiatra alemão Emil Kraepelin pudesse traçar uma linha clara entre transtornos psicóticos, como esquizofrenia, e problemas de temperamento, como depressão e transtorno bipolar.
Com o tempo, vários protótipos surgiram, como o compulsivo, que vive sua vida de acordo com um padrão preconcebido e irrevogável. O narcisista, com sua autoaprovação tão grandiosa quanto frágil. O dependente, com sua carência sufocante. O histriônico, sempre envolvido em algum drama, desesperado para ser o centro das atenções.
Dez tipos
No final da década de 1970, Ted Millon, diretor científico do Instituto de Estudos Avançados em Per­sonologia e Psico­patologia, reuniu o grosso de um trabalho sobre transtornos de personalidade, a maior parte dele descritivo, e o transformou num conjunto de dez tipos padronizados para o terceiro manual de diagnóstico da Associação Psiquiátrica Americana. Pu­blicado em 1980, é um best-seller entre os profissionais de saúde mental do mundo inteiro.
Esses critérios para diagnóstico tiveram efeitos duradouros e levaram a melhorias nos tratamentos de muita gente, como aqueles com transtorno de personalidade borderline, ou limítrofe.
Apesar desse progresso, muitos especialistas da área começaram a defender a ideia de que o catálogo de diagnósticos precisava ser reescrito. Um dos motivos para isso é o de que algumas categorias se sobrepunham e indivíduos problemáticos com frequência recebiam dois ou mais diagnósticos de personalidade.
“Transtorno de personalidade não especificado”, um rótulo genérico que significa, mais ou menos, que “esse indivíduo tem problemas”, se tornou o mais comum dos diagnósticos.

18/11/2012

O que é Psicopatia - Depoimento de um Psicopata

Paulo é um psicopata que decidiu 'sair do armário' porque não curtia ter uma vida dupla.

Nesse video, ele fala abertamente sobre a psicopatia usando uma linguagem simples e direcionada para leigos.
Questionamentos sobre a fidelidade científica do conteúdo do video: Periódicos 
Faça uma busca pelos periódicos científicos.

17/11/2012

Médico receita cadeados para paciente

Clique na Imagem para Ampliar

"Cadialina" - Esse foi o "medicamento" indicado por um médico para uma dona de casa de Salvador combater dores no fígado e conseguir emagrecer.

A paciente, Adriana Santos, 33, diz que, ao perguntar sobre onde encontraria o remédio, o médico José Soares Menezes recomendou que ela procurasse um ferreiro e comprasse seis cadeados.

"Um para a sua boca, outro para a geladeira, outro para o armário, outro para o freezer, outro para o congelador e outro para o cofre de casa", relata a mulher, que diz ter 1,53 m de altura e 100 kg.

O caso ocorreu na semana passada em um posto móvel da Fundação José Silveira (conveniada à Secretaria de Saúde da Bahia) no bairro do Uruguai, onde Adriana mora, na periferia de Salvador.

Procurado, o médico limitou-se a responder: "Só usei uma linguagem figurada".

A fundação reconhece que houve a consulta e afirma que iniciará uma investigação.

O Conselho Regional de Medicina da Bahia recebeu ontem a queixa da dona de casa e prometeu abrir uma sindicância para apurar se houve infração ao código de ética da profissão.

Adriana disse ter contado que não poderia fazer uma cirurgia de redução do estômago. O médico, de acordo com ela, afirmou que sua filha chegou a realizar o procedimento, mas, como continuou sem fazer regime, acabou engordando novamente.

"Ele ainda falou que, se eu não quisesse os cadeados, o jeito seria fazer jejum em quatro dias da semana. E, nos outros três, só beberia água."

Em entrevista à TV Itapoan, afiliada da Rede Record no Estado, Menezes negou a segunda situação. O médico pediu desculpas "se foi mal interpretado" por Adriana.

"É uma paciente que tem compulsão por alimento. Infelizmente, ela vive numa comunidade que não tem capacidade de abstrair as coisas", afirmou o médico à TV.

A paciente afirmou que não aceita o pedido de desculpas de Menezes e que já teve consulta com outro médico, que pediu exames.

07/11/2012

Depoimento Borderline - Eu NÃO SOU Doença!

Hoje fui muito elogiada pela minha terapeuta! 
Eu me dei férias de 1 mês da terapia.

Férias mesmo, pausa, reflexão. Nada de rebeldia, apenas férias.
Hoje retomei e contei os milhares de "causos" e como reagi a cada um. 
Um parabéns atrás do outro. É, estou evoluindo... visivelmente. 

Milagres? Não. 
Empenho, dedicação e principalmente vontade de vencer e de ser reconhecida por mim mesma por isso. 
Tenho recebido elogios da família, namorado, alguns amigos e algumas pessoas do trabalho. Isso me motiva! 

Reafirmo a cada contrariedade: 

"EU NÃO SOU DOENÇA. EU TENHO UM LADO SADIO E É ELE QUE VAI TRABALHAR AGORA" 

E com isso eu mudo meu trajeto: de uma atitude destrutiva (doença) para uma construtiva (saúde). 

E é assim que vou caminhando pra frente...
Camila do grupo Vencendo o TPB


31/10/2012

28/10/2012

Brincando de Deus - A Cabra Aranha

A cabra-aranha é metade cabra, metade aranha, e seu leite pode ser usado para criar uma teia de aranha artificial. 

Faz parte de um novo campo de pesquisa, a biologia sintética, com um objetivo radical: desmontar a natureza em partes, de modo que possamos reconstruí-la como quisermos. 

Essa tecnologia já está sendo usada para fazer bio-diesel e abastecer carros. Outros pesquisadores estão pensando em como, um dia, controlar as emoções humanas enviando 'máquinas biológicas' para dentro de nossos cérebros. 

Veja a seguir o video sobre essa espécie hibrida:


15/10/2012

Síndrome de Charles Bonnet

O neurologista e escritor Oliver Sacks chama nossa atenção para a síndrome de Charles Bonnet na qual pessoas visualmente deficientes experimentam alucinações lúcidas. 

 Ele descreve as experiências de seus pacientes com detalhes afetuosos e nos conduz à biologia desse fenômeno pouco divulgado.


Caso não consiga abrir o video assista  AQUI

14/10/2012

Cursos - Saber Viver

O blog “Cursos – Saber Viver” é um espaço que oferece cursos gratuitos em diversas áreas com certificado digital. Além do curso gratuito, você também pode optar pelo curso VIP e adquirir um certificado impresso.

 Mas o blog Saber Viver não se restringe apenas a cursos. Nele você também encontra vídeos de autoajuda e dicas de saúde. 

Em suma, o conteúdo apresentado no blog incita o leitor a Saber Viver!! 

"Por aprendizagem significativa, entendo, aquilo que provoca profunda modificação no indivíduo. Ela é penetrante, e não se limita a um aumento de conhecimento, mas abrange todas as parcelas de sua existência." Carl Rogers 

 Acesse e descubra o prazer de Saber Viver!

08/10/2012

Romance pela Internete Acaba Mal (Brasil)

O indiano Bakul Bakulmiah começou um romance com uma brasileira que conheceu em uma sala de bate-papo na internet. 

Atraído pela foto da atriz Giovanna Antonelli que a moça usava no perfil, Bakulmiah - que mora em Dubai - veio ao Brasil para conhecê-la. 

As imagens dele posando em frente a hotéis luxuosos também chamaram a atenção da moça. No mundo real, a história de amor não teve um final feliz. 

A brasileira era na verdade uma mulher de 41 anos, divorciada e mãe de dois filhos e o estrangeiro não era o príncipe árabe que ela esperava: Bakulmiah era, na verdade, garçom do hotel. 

A mulher, que preferiu não se identificar, pediu ajuda da TV Alterosa, de Belo Horizonte, pois não sabe o que fazer com o moço, que veio ao país com passagem só de ida. 

Por falta de informação, o indiano trouxe apenas dirhans - moeda dos Emirados Árabes - e não conseguiu trocar o dinheiro em nenhuma casa de câmbio mineira, além de não poder sacar reais com seu cartão de crédito. 

A mulher disse que não irá hospedar Bakulmiah em casa, nem pagará por sua estadia.

(fonte)

06/10/2012

Duas Correntes de Amor

Entenda porque após o casamento o relacionamento 'cai na rotina'.

Com vocês, o psicanalista Jorge Forbes:

02/10/2012

Confu-São

Sentimentos confusos? 
Me atormentam a todo instante... 
Pensamentos indistintos? 
Me torturam a todo momento... 
Tento afogá-los no trabalho.
Distrai-los com as ocupações diárias...
Mas tem hora que simplesmente não dá... 
Eles imploram por minha atenção 
E mendigam por minha afeição. 
E lá vou eu... 
Distribuir um pouco de solidão... 
                                    Wally

24/09/2012

TPB & Transtorno Alimentar - Depoimento


Nesse video Lucy conta um pouco do "início" da sua história enfrentando o Transtorno de Personalidade Borderline e Transtorno Alimentar.


"A RECUPERAÇÃO é o próprio trajeto que fazemos ao longo do tratamento, e um dia estaremos RECUPERADOS, livres!" (Lucy)

18/09/2012

Aceleração & Depressão

"Olá, como vai ?
Eu vou indo e você, tudo bem ?
Tudo bem eu vou indo correndo
Pegar meu lugar no futuro, e você ?
Tudo bem, eu vou indo em busca
De um sono tranquilo, quem sabe ...
Quanto tempo... pois é...
Quanto tempo...
Me perdoe a pressa"

A velocidade da vida moderna não nos permite parar para ver o que estamos atropelando. E essa urgência é o que torna as coisas passageiras, irrelevantes e supérfluas.

A finitude é o modo fundamental do ser: “Se quisermos vir a ser o que somos, não podemos abandonar a finitude ou nos iludirmos quanto a ela. Muito ao contrário, precisamos protegê-la ”.

17/09/2012

Os Psicopatas da Vida Real


Charmosos e simpáticos; mentirosos e manipuladores. Os psicopatas não se importam de passar por cima de tudo e de todos para alcançar seus objetivos. 

São egocêntricos e narcisistas, não sentem remorso e muito menos culpa. Se algo ou alguém ameaça seus planos, tornam-se perigosos e agressivos. 

São mestres em virar o jogo, colocando-se no papel de vítimas. E estão sempre conscientes de todos os seus atos, pois, diferentemente do que ocorre em outras doenças mentais, os psicopatas não entram em delírio.

O psicopata apresenta vários perfis. A grosso modo, existe o psicopata leve, moderado e grave. 

O psicopata leve é o conhecido “171”, aplica pequenos golpes e engana pessoas de bem. 

O moderado já se envolve de maneira mais contundente com as vítimas dos golpes, que quase sempre envolvem muitas pessoas e grandes somas em dinheiro.

Já o psicopata grave,  é o mais conhecido pelo público leigo. É o indivíduo que comete assassinatos a sangue frio, sejam em série ou não. 

A psicopatia atinge cerca de 4% da população (3% de homens e 1% de mulheres), segundo a classificação americana de transtornos mentais. 

Sendo assim, um em cada 25 brasileiros enquadra-se nesse perfil. 

13/09/2012

Esquizofrenia

A esquizofrenia é uma doença que atinge cerca de 1% da população mundial.

Sintomas como delírios e alucinações são os primeiros sinais da doença, que mesmo com a evolução do tratamento, ainda encontra o preconceito como a principal barreira.

A apresentadora Lívia Hartmann acompanha a história do aposentado, Leonardo Coelho da Cruz. 

Com uma vida ativa, entre trabalho e estudos, Leonardo descobriu a esquizofrenia no início da vida adulta. 

Os primeiros sinais identificados foram a reclusão social, seguida de alucinações e depressão.

No programa, veja como o tratamento com auxílio de medicamentos e a participação em grupos de apoio ajudaram Leonardo no controle da doença e fez com que levasse uma vida sem privações.

Conforme a terapeuta ocupacional Suzana de Castro Tolio, manter o cérebro em atividade intelectual ajuda a organizar o cotidiano da pessoa esquizofrênica

A presidente da AGAFAPE de Porto Alegre, Juracy Maria Bizzi, explica como o trabalho voluntário contribui para o tratamento de pessoas com a doença.

Para mostrar como ocorrem as alucinações no cérebro e desvendar os mitos e verdades sobre a esquizofrenia, o apresentador, Dr. Enrique Barros, entrevista especialistas no assunto, como o psiquiatra da Unifesp, Dr. Rodrigo Affonseca Bressan e o psiquiatra da PUC/RS, Dr. Diogo Lara.

09/09/2012

Mr. Jones - Um Filme Sobre Bipolaridade

Sinopse: Richard Gere, Lena Olin e Anne Bancroft estrelam esta emocionante história sobre um homem á beira da autodestruição que é salvo pelo amor.

Gere é um show de interpretação como Mr. Jones, um maníaco depressivo que, durante suas crises emocionais, é divertido, criativo e envolvente.

Chocando a platéia esnobe de uma orquestra subindo ao palco para reger uma sinfonia de Beethoven, ou impulsivamente tomando uma caixa de banco e uma fuga romântica, Mr. Jones é um homem irresistível para qualquer mulher, incluindo a Dra. Libbie Bowen (Olin), a preocupada terapeuta designada para seu caso.



Alterações do Sono

A má alimentação, a correria do dia a dia e as preocupações da vida moderna intensificam o período de trabalho e reduzem o tempo de sono.

Uma noite maldormida interfere no desempenho profissional e pessoal.

É durante o sono noturno que o corpo descansa e o cérebro desempenha funções importantes, como por exemplo, liberar hormônios sexuais e do crescimento.

Neste programa, o telespectador vai saber como é possível tratar problemas relacionados ao sono e os reflexos em sua saúde.

O produtor musical Rafael Henke, 37 anos, tinha uma rotina agitada e noites de sono desregradas. Os roncos e as breves paradas respiratórias, enquanto Rafael dormia, preocuparam a esposa.

Após realizar exames, ele descobriu que tem apneia do sono. O policial militar, Paulo Sérgio Ferreira, 42, trabalha durante a noite e dorme durante o dia. Ele também tem problema de apneia do sono.

Os apresentadores, Dra. Lívia Hartmann e Henrique Barros, acompanham as duas histórias e mostram como Rafael e Paulo trataram os distúrbios do sono.

Um dos fatores que ajuda a regular o sono é a prática de exercícios físicos.

O programa também mostra dicas para dormir bem, e os benefícios de uma boa noite de sono para a saúde.

08/09/2012

Neuroticismo vs Neurose

Neuroticismo é um termo que indica indivíduos que, no longo prazo, possuem uma maior tendência a um estado emocional negativo.

Pessoas com perfil neuroticista possuem maior inclinação aos estados depressivos – sofrem com sentimentos de culpa, inveja, raiva e ansiedade de forma mais acentuada – quando comparados a outros traços de personalidade.

Uma revisão recente sobre o tema, feita em conjunto pela National Health Service (NHS) do Reino Unido, National Institutes of Health (NIH), nos EUA e pela Associação Médica Americana, indica que pessoas com maiores níveis de neuroticismo também são mais sensíveis ao estresse ambiental e têm maior dificuldade em lidar com isso

Estes indivíduos podem perceber o dia a dia como uma situação descontrolada, ameaçadora e mesmo frustrações triviais são sentidas como problemáticas e desesperadoras.

Indivíduos neuroticistas (ou neuróticos) são mais concentrados em si mesmos e menos expansivos. Há também uma maior tendência a internalizar fobias e outras neuroses, como transtornos do pânico, negatividade e depressão.

Quando se fala de neuroticismo é interessante observar os níveis. Baixos níveis de neuroses são sinônimo de pessoas mais estaveis emocionalmente e que lidam melhor com o estresse. Estes indivíduos têm um humor mais constante, se mantêm mais calmos e dificilmente se tornam tensos e raivosos, comparados com pessoas com altos níveis de neuroticismo.

A diferença entre neurose e neuroticismo

As neuroses se referem a transtornos mentais que envolvem estresse, mas dentro de níveis normais sociais aceitáveis (ao contrário daqueles cujos sintomas envolvem alucinações, por exemplo). O indivíduo com neurose continua em contato com a realidade.

A neurose é relacionada com uma série de transtornos mentais. Já o neuroticismo é o estado, mesmo que latente, destas neuroses. Um indivíduo pode ter traços de neuroticismo sem necessariamente desenvolver por completo as neuroses.

As neuroses e o neuroticismo, entretanto, não interferem na habilidade ou funcionamento racional. 

Apesar de causarem impacto nos indivíduos, eles continuam – em casos leves e moderados – a racionalizar seus atos. Mas as neuroses causam grande estresse nos indivíduos e potencializam estresses ambientais.

A melhor forma de lidar com esse traço de personalidade que pode levar ao desenvolvimento de transtornos mentais é procurar um profissional de saúde mental e aprender a lidar com os pensamentos que têm tendência negativa.

07/09/2012

Depressão e Transtorno Bipolar

O terceiro episódio da série Ser Saudável apresenta um tema que acomete cerca de 400 milhões de pessoas em todo o mundo e é cercado de preconceitos: os transtornos psíquicos.

A depressão e o transtorno bipolar são apresentados através de histórias de pessoas comuns que superaram o problema. Separação, estresse no trabalho e no relacionamento familiar. Situações como estas levaram o artista plástico Edson Nobre, de 51 anos, a sofrer de depressão.

Para a aposentada Mara Zanini, que tem a mesma idade e sofre com transtornos bipolares, os sintomas são parecidos, mas com efeitos permanentes na alteração de humor.

A depressão e o transtorno bipolar são normalmente confundidos e é mesmo difícil distinguir quando a tristeza é um sentimento rotineiro e quando passa a ser prejudicial para a saúde e o convívio social.

O tratamento e a diferença entre os dois distúrbios psíquicos são abordados por especialistas. E, para entender melhor o assunto, as histórias de Edson e Mara revelam como é possível superar o problema com ajuda profissional.

04/09/2012

Desrealização / Despersonalização

O video foi basdeado em pesquisas de sites e livros, além de relatos de pessoas que passam ou passaram pela Síndrome de Despersonalização ou Desrealização.

Principais Sintomas

· Pressão na cabeça, efeito balão de gás.
· Sensação de estar saindo do corpo.
· Sensação de desmaio, ou morte.
· O mundo parece irreal.
· A vida parece remota ou automatizada.
· Perda das emoções e sentimentos.
· O cérebro entra em um estranho êxtase.
· O corpo parece estar dormente ou anestesiado.
· Estranheza ou desligamento de seu pensamento.
· Estranheza ou desligamento de seu corpo.
· Estranheza ou desligamento do mundo real
· O corpo e seu ambiente mudam de qualidade, cor, textura e luzes.

Alergia à Tecnologia


Você conseguiria ficar sem computador pelo resto da vida?
Ou então abandonar seu celular para sempre?
E seria capaz de viver num mundo zerado em tecnologia eletrônica??

Praticamente impossível, não é mesmo?
Hoje em dia as pessoas usam aparelhos eletrônicos todos os dias sem descanso.

Acontece que Debbie Bird foi obrigada a tornar isso possível!

Ela, de fato, vive em um mundo onde a tecnologia eletrônica não passa nem perto...

É que a pobre mulher sofre de uma alergia super incomum: alergia à aparelhos eletrônicos.

Ela possui uma sensibilidade ao campo eletromagnético criado pelos mesmos.

Para poder entrar em sua cozinha tranquilamente foi preciso criar uma zona livre de eletromagnetismos.


A única peça do mundo eletrônico que também faz parte do mundo de Debbie é uma TV de Plasma, pois que esta emite pouquíssimos raios gama sendo que tal intensidade não chega a provocar erupções cutâneas em sua pele.
(fonte da notíca:Dailymail.co.uk/news)

01/09/2012

Vivendo entre Lobos

Para mostrar de forma mais clara os costumes dos lobos, Shaun Ellis decidiu viver entre os animais de uma alcatéia, assumindo trejeitos, refeições, olhares e até carinhos e brincadeiras como se fosse, de fato, um lobo.

A partir de 2005, ele passou dois anos em meio a uma alcateia no Parque de Vida Selvagem Combe Martin, no Reino Unido. Seu objetivo era ensinar três filhotes órfãos de lobos canadenses a sobreviver na reserva natural. 

Para isso, se alimentou e dormiu com os lobos, sem qualquer contato com humanos, até sentir que fazia realmente parte do mundo dos animais.

Através do tempo em que estudou os lobos, Shaun conseguiu aprender como esses animais se intimidam, como definem a alimentação de cada um, como brincam entre si e os reconduzirá por uma jornada impressionante.

Assista aqui ao documentário e mais abaixo veja algumas fotos:



























31/08/2012

Aluno sofre Bullying de Professor!

Um menino de 13 anos foi aterrorizado em sala de aula por outros alunos e pelo professor!

O incidente ocorreu na escola pública de ensino médio de Gig Harbor e foi registrado por uma câmera de celular. A vítima foi amordaçada e arrastada.

A sessão de tortura durou 15 minutos. O professor, John Rosi, participou de algumas das "atividades". Em outras, funcionou como "orientador".

Pasmem: o professor foi punido com suspensão de dez dias, e foi transferido para outro colégio.

O professor se desculpou pelo incidente, mas eclareceu que ele "não foi diferente ou mais nocivo do que qualquer outra brincadeira feita por crianças".

Os pais do aluno que sofreu o abuso não se deram por satisfeitos e solicitaram investigação criminal.

"Ele me disse: 'Eu quero morrer. Eu quero me matar' ", contou ao canal KING 5 o pai da vítima.
O menino foi transferido para uma escola particular e está com acompanhamento de psicólogo.

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...