Translate

21/12/2010

Dicas de Auto Controle

Em resposta a um comentário (leia aqui o comentário na íntegra)

"Quais seriam as dicas para uma borderline consciente se controlar quando perceber que está havendo briga? O que ela pode pensar ou fazer para interromper o processo de intolerancia profunda, por alguma frustração boba?"

- Repetir mentalmente:

"Eu sei que isso vai passar e as coisas vão melhorar.
Já aconteceu antes e tudo ficou bem."
- Continuar repetindo até acreditar.

- Escrever.

Um diário (online ou convencional) pode ser um grande salvador num momento difícil.
Escreva sem medo, sem vergonha, sem censura.
Deixe que sua mente se liberte de todos os pensamentos.
Despir a alma dos sentimentos perturbadores usando papel e caneta (ou um PC) vai aliviar sua angústia e provavelmente evitar um conflito.
Naturalmente que o diário pode ser utilizado em qualquer circunstância e não somente quando a crise se aproxima.

- Caminhar para arejar.

É sabido que qualquer exercício físico proporciona um grande bem-estar emocional.
Uma caminhada, ainda que seja um pequeno passeio, pode ser de grande ajuda.
Lembre-se de respirar fundo diversas vezes enquanto caminha.

- Dormir.

Beber um chá de camomila ou algum outro que não seja estimulante e ir deitar.
Pensar em coisas aleatórias que não engatilhem um conflito.

Visualizar (através da lembrança) acontecimentos passados que foram capazes de proporcionar momentos felizes.

- Não tomar nenhuma decisão.

Em hipótese alguma decida qualquer coisa em meio a uma crise.
Sem dúvida vai se arrepender se o fizer.
Caso tenha vontade de fazer alguma coisa repita mentalmente:

"Assim que me acalmar tomo uma decisão. Agora, não!".
Se a vontade de fazer uma escolha permanecer, escreva no diário a decisão que você quer tomar. Apenas escreva! Não compartilhe com ninguém!

Bom, essas estratégias tem me ajudado MUITO!
Mas é de vital importância que o tratamento não seja descontinuado em hipótese alguma. Tanto os medicamentos quanto a terapia.

Com o tratamento adequado, o border terá cada vez mais consciência de seu comportamento e aprenderá a lidar consigo mesmo. A partir do momento que admite-se que há um problema, o progresso começa.

Assim que o border aceita seu transtorno, e por conseguinte aceita-se, ele começa a agir. E aos poucos aprende a trabalhar seus sintomas e começa a levar uma vida relativamente normal.
Wally elsissy

11 comentários:

Anônimo disse...

Perfeito! Wally, quero agradecer imensamente por dispor seu tempo e experiência para atender meu pedido.

Tenho a sensação de que o melhor input que posso receber sobre esta condição é de um border como você que já possui diversas vivências de como lidar com situações antes fora do controle.

Muito obrigado de coração!
Sem querer parecer insaciável ou chato, quero lhe fazer uma proposta de um post que vai ajudar não só a mim, como a muitos que vivenciam o mesmo problema que eu. Bom, lá vai o chato:

A ideia do estudo é fazer uma espécie de entrevista de um cuidador para um border. Assim teremos os dois lados da moeda, onde as principais questões de um cuidador, que na maioria das vezes enxerga as crises como fáceis de serem resolvidas, são respondidas por um border, que vive na pele a luta interna para ter um relacionamento melhor. Acredito que com isso podemos juntos documentar uma linguagem unificada de comunicação entre as duas partes. Dando um caminho para eliminar a sensação de falta de compreensão que norteia relacionamento não-border com border.

Por favor, não sinta-se obrigada ou desculpe-me invadir o seu espaço, compartilhando também meus pensamentos. Sinta-se livre para apagar o comentário ou até ignora-lo. Também não quero passar por cima de ti, partindo desse princípio, enxergue esta proposta apenas como um escopo ou um tema para que você possa criar em cima.

Finalizando, caso queira que eu detalhe o que penso para você, comente em seguida, estarei aguardando sua autorização para utilizar este espaço. O legal deste debate ser público é que talvez alguma outra pessoa opine, somatizando experiencias, aumentando a chance de outras pessoas se identificarem com as palavras da obra final.

Muito Obrigado.
Ps: Não sou obsessivo compulsivo... rsrsrsrs... é que finalmente enxergo uma luz, onde só havia incerteza.

Wally elsissy disse...

Puxa! Eu adorei a sua idéia!!! =)
Não tem nada de chato em sugerir, pelo contrário...

E fico imensamente contente que tenha gostado desse post também.

Sobre a entrevista, você poderia mandar as perguntas iniciais pro meu email, eu crio um post e as demais perguntas podem ser discorridas nos comentários, o que você acha?

Wally elsissy disse...

Ahhh esqueci de dizer que estou sempre às ordens!!
Pode comentar o que quiser e sugerir posts sempre!
O que estiver ao meu alcance farei de bom grado!

O seu comentário é minha satisfação!!!

Anônimo disse...

Oi Wally.

Pode deixar que não esqueci de você. Então está fechado! Semana que vem vou te enviar um e-mail com o escopo do post. (Estou sem tempo para escrever com calma, correria de natal rsrsrs)

Mais uma vez muito obrigado por tudo.
Estou muito feliz que esteja disposta a ajudar.

Lollipop disse...

Eu amei as suas dicas Wally.
Hmmm como o seu blog é lindo
parabéns xD!
Feliz natal e prospero ano novo !!!!
:D

Wally elsissy disse...

Anonimo, fico aguardando seu email então :)
Não tem pressa... quer dizer, a pressa é sua :D
Take your time!
Estou de férias até o fim de janeiro então tenho todo o tempo do mundo hehe
Como disse antes, estou às ordens!

Lollipop, obrigada pelo elogio.
O seu blog também é lindo!!!

Boas festas pra vc também!!
Bjos

Anônimo disse...

Amei seus conselhos..Vc é uma querida!!!!
Eu tb sou border e tb tenho as minhas técnicas, além de psiquiatra e psicólogo, tb faço Yoga, pilates, auto-ajuda, homeopatia. A minha busca é tentar ser uma pessoa feliz. Sei que pelo fato de ter esse disturbio nunca serei um ser feliz, completo e inteiro. Mas posso tentar ser mais, muito mais do que sou hoje. Tb sofro de baixa-estima, sou má, instável, irada, louca mesmo.
Tenho uma família que me ama do jeito que sou e me perdoa todos os dias. Muito obrigada por vc existir, Wally. Vc é o máximo, te admiro muito, muito!!!
Muitos beijos

Reflexões Borderline disse...

Olá :)
Obrigada Anônimo.
É muito bom ganhar colo dos leitores de vez em quando.
Parece que temos bastante em comum.
A mesma linha de pensamento... a mesma batalha.
O importante é não desistir!
Muito obrigada pelo carinho!!
Retribuo muitosss beijos!!

Anônimo disse...

Ainda não havia lido esse post, de sua autoria wally. Parabéns, está excelente!!!
Vou adotar a técnica de escrever no diário, vai me fazer bem. Eu tenho alguns fantoches imaginários, com os quais eu converso, brigo, rmpo, volto de novo a falar rsrsrs. E tem funcionado muito bem.
Eu sou adepta, tb de curas alternativas: como acupuntura e homeopatia. Gosto de aromaterapia, tb. Me acalma tanto, Wally...
eu tb faço cromoterapia com a minha terapeuta e gosto muito. Quando estou muito estressada, nervosa, tenho um amigo que me aplica shiatsu e me dá uma nova renovada.
Essas são as minhas dicas, minha querida.
Adoro vc,
sia eterna admiradora,
Van

Wally disse...

Que bom que você gostou, Van :)

Eu também adoro homeopatia.
E outras curas alternativas.
Uso bastante incenso. E óleos aromáticos.
Também me ajudam.
Cromoterapia nunca usei. Mas já li a respeito.

É muito bom poder contar com outras coisas além dos medicamentos, né?

Ahhh e meu cão ajuda tanto, viu?!?!?!
Ele é meu porto seguro emocional!!!

bjos e também adorOOcê :)

selmarjbr disse...

Wally saiba que aprendo muito com você menina. Quando recebi o diagnóstico de TPB, eu confesso que fiquei perdida sem saber o que se tratava. no primeiro momento o chão se abriu e eu me senti a pior pessoa da face da terra. Depois fui buscar esclarecimento e entre as pesquisas no google, lá estava o endereço deste cantinho incrível, que muito me orientou e me ajudou a direcionar o meu foco para não me colocar no papel de vítima ou me ver como doente. A princípio me dediquei com terapias e medicamentos e agora totalmente fortalecida sigo a risca toda as técnicas que aprendi na terapia, uso as suas dicas e também desenvolvi as minhas próprias que funcionam pra valer. Acho que as ferramentas todas reunidas no sentido de recuperação do equilíbrio emocional, são todas válidas. Obrigada Wally por ser você a pessoa linda que é. Adicionei você lá no grupo Vencendo o Transtorno Borderline. Beijos querida e sucesso.

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...