Translate

18/12/2010

Quando o Cuidador do Borderline se Isola


O comportamento e o humor imprevisível da pessoa com TPB pode tornar as amizades difíceis.

Dar desculpas ou encobrir o comportamento borderline pode ser tão emocionalmente exaustivo que algumas pessoas acham que não vale a pena o esforço para sustentar amizades. 

Muitos cuidadores (pessoas que "cuidam" do borderline) dizem que os amigos frequentemente sugerem soluções que são simplistas ou inaceitáveis, que deixam o cuidador se sentindo mal compreendido. 

Alguns dizem que perderam amizades porque seus amigos não acreditavam neles ou ficaram cansados de ouvir a respeito de suas brigas. Frequentemente, o cuidador fica isolado porque o border em sua vida insiste que ele corte todos os laços com outros. 

Muito freqüentemente, o cuidador concorda. E uma vez que o cuidador se torna mais isolado, várias coisas podem acontecer. Ele pode se tornar mais emocionalmente dependente do border.

Devido a ele estar sem contato com o mundo real, o escândalo do comportamento borderline pode parecer normal, uma vez que não há nada para se comparar. 

Os amigos não obstante, podem observar o relacionamento e falar com o cuidador  sobre os componentes doentios do relacionamento.

(referência:  livro Stop Walking on Eggshells)

12 comentários:

Anônimo disse...

Eu como border, reconheço que inconciente ou conciente quero a atenção 24 horas do meu marido para mim, quando estou com meu marido.

Quando estou trabalhando ou estudando ainda bem que esqueço e não sinto ciúmes etc. Chega a ser estranho, quando estou longe não sinto ciúmes e nem quero 24 horas de atenção...

Mas quando estamos juntos, tenho ciumes até de ele olhar para outras mulheres.
Mas não se limita a isso, se ele tem um amigo e elogia esse amigo, eu sinto também, mesmo que eu não queira, sinto algo no meu coração não sei se sensação de medo de perder, dele ir pela cabeça da pessoa e se separar de mim, ou ver defeitos em mim pois a pessoa falou.

Daí passo a comentar defeitos da pessoa com intuito dele achar que ela não é tão especial assim.

Isso é ruim eu sei!!!! Mas a sensação no coração não consigo evitar.
Acredito que quando o cuidador fica só no mundinho dele com o border, ele até pega algumas características do border, como: Irritabilidade, críticas, se ver no direito de ter também o ciumes, entre outras coisas.

Alguém se habilita a comentar se ocorre o mesmo com ela?
Abraços,

Priscila MT.

Wally elsissy disse...

Priscila, eu era assim.

Quando estou na TPM ainda acontece... mas daí já sei que é devido a isso e nem me incomodo.

Quando acontece fora da TPM, o que é muito raro hoje em dia, chega a me incomodar mas consigo disfarçar minhas emoções.

Mas já sofri muitíssimo com isso.

Abraços

Anônimo disse...

Você acha que só através dos remédios controlam é possível controlar esse impulso?

Priscila MT.

Wally elsissy disse...

Acho que depende do estágio.
Sabemos que conforme os anos passam os sintomas diminuem. Talvez só a terapia já dê o controle sobre as emoções.
Mas acredito que a melhor forma de saber é consultando o seu médico.
No meu caso não faço terapia (atualmente) só tomo sertralina. É suficiente.

Abraços

Anônimo disse...

Olá, fiquei tão feliz em encontrar esse blog! Apesar de minha filha de 24 anos ter sido diagnosticada como bipolar, eu particularmente acredito que ela seja borderline...No momento ela se mudou de estado e estou muito preocupada com ela. Ela insiste que quer que eu cuide da minha vida e a deixe de lado. Ela não quer nem ouvir falar em remédio ou terapia. Ela insiste que não há nada de errado com ela. Além de ler esse livro stop walking on eggshells, alguma outra sugestão? Agradeço muito!

Wally elsissy disse...

Olá, que bom que gostou do blog!!!
Sim tenho uma outra sugestão que se encontra nesse link aqui:

http://bit.ly/esFnEo

Apareça sempre e boa sorte!!!

abraços

Pilha Border disse...

Sou borderline e conheço poucas pessoas assim como eu, peço q vcs me add no msn e orkut.
MSN: pilhabipo_ma@hotmail.com
ORKUT: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=18236410100976741415

Tay. disse...

Ao contrario da primeira pessoa, eu quero atenção sempre que eu sei que ele está 'perto'. Se não fisicamente, por msn, ou por telefone, não importa, eu quero a atenção dele de alguma forma.

Reflexões Borderline disse...

Tay, lembra daquela música:

"Muito pra mim é nada ♪♫ , tudo pra mim não basta..."

Veja aqui:

http://vidadeumaborderline.blogspot.com/2011/04/eu-so-sei-amar-assim.html

bjos

Anônimo disse...

Nunca vivi apenas sobrevivi,faço coisas bizarras na tentativa de me livrar dessa maldita dor, sofrimento exarcebado

Reflexões Borderline disse...

Já eu, há época em que vivo e outras em que apenas sobrevivo...

Anônimo disse...

já leu o mito de perséfone wally?
ela fica parte no inferno e parte na terra.
algumas pessoas já me falaram do mito por causa dessa época que eu fico sobrevivendo, meio que num inferno mesmo. Aliás, todos os borders.
da uma pesquisada no mito.
beijos e bom domingo!
depois me conta do artigo!
maria roberta

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...