Translate

22/08/2011

Depoimento - Cuidadora que Espera

Da série: Comentários que Merecem Destaque
Comentário feito nessa postagem aqui.

Há 6 anos conheci o homem que me fez viver um amor maravilhoso, porém assustador desde o início.

Era tanto amor dele por mim, que me apaixonei em pouco tempo. Hoje estou só, apesar de nos mantermos ligados emcionalmente, depois de tantos rompimentos. 

Hoje eu me pergunto tudo o que está escrito neste blog e encontro conforto para minha tristeza e dor. Ele vem e eu me alegro, mas não me permito me iludir. Ele vem quando quer, eu o aceito. 

Hoje, sexta feira, onde ele estará, com quem estará, porque não mereço sua companhia quando preciso dela e sinto saudades?? 

Tentei me fortalecer inúmeras vezes e fraquejei, meu mundo não é mais o mesmo desde sua entrada na minha vida. Hoje estou isolada de tudo, porque não consigo compartilhar, nem mesmo com a pessoa mais próxima, tudo o que vivo. 

Estou me tratando, a depressâo é grande, devido a tamanha decepção de estar diante de tanta ingratidão, após uma vampirização sem fim. Ofensas, brigas intermináveis, vergonha pública, traições e mentiras e não me conformo em não ter conseguido fazê-lo acreditar na minha dedicação e amor. 

Sou esperança porque quero acreditar numa nova chance, quero acreditar que posso acalmá-lo e que irei suportar suas agressões. 

Estou com medo, minha vida está parada e a dele andando, como pode??

Será que para um border o amor nunca valerá à pena? Penso que o medo de enfrentar suas dores, os tornam as pessoas mais egoístas do mundo!

Tudo que mais quero é a chance de viver todo meu amor e ser amada por ele. Ele diz sim que me ama, mas a palavra é uma e a atitude outra. 

Tenho medo de acreditar e continuar sofrendo, mas vivo das minhas lembranças e desejos pelo futuro com ele me amando e voltando para mim!

Com amor à todos que como eu, sabem o que é estar partida ao meio e sozinha.

5 comentários:

Anônimo disse...

Cara amiga, comigo se passou e passa o mesmo, mas eles são muito instaveis, e aquilo do começo sem dúvida foi real e verdadeiro como com minha ex, mas não podemos nos anular em função deles, por mais que gostemos da outra pessoa, no meu caso específico além de tudo que mencionou havia envolvimento com alcóol e drogas, lícitas e ilícitas....o que é muito destrutivo para todos, o melhor é fazer como eu fiz, mesmo de modo traumático, se afastar para nos fortalecer e talvez um dia voltar para ajudar, pois ela assim como ele sempre estará só, é apenas uma questão de tempo, pois ninguém aguenta...eles sempre estarão nos esperando...se isso te consola. Força para podermos ajudá-los; e isso significa distanciarmos...por hora!

Anônimo disse...

oi anônimo,
entendo que é tudo bem complicado. e é sim!
mas queria comentar o que você disse de "eles sempre estarão nos esperando".
não é bem assim.
borders precisam de apoio. de se sentirem preenchidos pelo imenso vazio que sentem. eles sempre se apegam aquilo ou aquelas pessoas que parecem dar a eles confianças, que eles acreditam irão suprir essa necessidade de apoio, de companhia.
não é que sejam superficiais. a necessidade que sentem de alguém é muito profunda. mas, pelo ego mal formado, eles se confundem com quem querem estar, quem realmente está ou não suprindo está necessidade. num determinado momento uma pessoa parece perfeita. logo em seguida, essa pessoa parece ter faltas imensas. para um border, tudo passa pelo 8 ou 80.
para que eles entendam se "amam" alguém verdadeiramente (seja como parceiro ou amigo, não falo só de amor entre parceiros mas de amizade também), eu acredito cada vez mais, que o caminho é de um entendimento através de um tratamento.
esse "estar nos esperando", se vc se referiu a estar esperando apoio, compreensão, ajuda, eu concordo.
mas se vc se refere, o que me pareceu, a "estar nos esperando" por "dependência" eu já discordo pois vc está apostando no transtorno, na parte doente do border, que como eu disse acima, é completamente instável. por isso, vc não deve contar com isso.
beijos
maria roberta

Anônimo disse...

Border comparam o passado com o presente, as decepções se infiltram nas novas relações, a carência é grande, um dia esta indiferente, outro frio, outro carente, outro feliz, o vazio é algo que vem de nós mesmos, acho dificil alguém preencher, ja que é um problema de nossa personalidade, o certo seria cada border se tratar antes e começar relacionamento, mas quando ja esta em um, tanto border quanto o cuidador saem machucados e humilhados.
O dificil é que as vezes estamos intensos e amando e depois logo acaba e volta, é uma roda gigante, uma montanha russa, não medimos palavras, somos impulsivos, manipulamos por medo, temos medos, talvez se fossemos menos egoistas tivessemos mais esperanças, acredito seriamente no amor, mas acho dificil um border ter estrutura para viver um.
Mas de todo caso torço por sua espera que se resolva e faça a terapia para depressão, pois não pare sua vida por ninguém, recrie a si mesma, lembre-se que todos estamos evoluindo e aprender com as decepções e erros é melhor que afundar nelas ou apenas deixa´-las passar sem aprender nada.
Abraços á Todos.
Acho que preciso fazer um blog para mim, Wally sey blog me incentiva muito, claro que o meu seria de poesia e sub cultura gótica primeiramente, até aprimorar, mas seu blog faz acreditar que não somos alienigenas e podemos nos expressar.

Wally disse...

Isso!! Faça mesmo um blog :)
É tão bom poder despejar os sentimentos, frustrações, realizações, etc em algum lugar :)
E como você disse, é maravilhoso sentir que não se está sozinho...

abraços

Anônimo disse...

Bem, eu concordo com a Maria Roberta, de que borders não ficam sempre esperando. Principalmente porque são muito instáveis. E olha, quando eu não estava sob tratamento, havia garotas que eu rompia e nunca mais quis vê-las. E foi para sempre. Essa montanha-russa não acontece com todas as pessoas que um border se encanta. Como disse, muito bem, aliás, a Maria Roberta, nos pegamos quando esse alguém nos faz sentir especiais e temos confiança no amor deles por nós, senão a coisa não funciona. Também, optei, a não me relacionar enquanto não me sentir forte o suficiente para não machucar as pessoas. Escolhi, por ora, permanecer sozinho, me descobrindo, me curando.
Mas, acredito no amor, sim. O amor do Fred e da sua cuidadora apaixonada é um excelente exemplo.
Abraços,
Felipe

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...