Translate

03/08/2011

Depoimento Borderline: Crise

No depoimento abaixo, Marina, de 29 anos, descreve como se sente quando passa por uma crise borderline:

“Quando entro numa crise, o que mais me incomoda é a sensação de não existir. É como se não houvesse motivos pra eu viver. 

Um vazio, uma angústia. Nada ao meu redor parece ter cor. Tudo é cinza. Sinto as coisas em câmera lenta. No entanto, meus pensamentos ficam exageradamente rápidos. 

Sinto uma grande ansiedade, uma incômoda agitação interna. Minha mente fica tão acelerada que, depois do fim da crise, sobra uma grande confusão mental.

Algumas vezes, chego a esquecer das situações que passei. Em outras, não consigo identificar se aquilo aconteceu ou se foi um sonho. Mesmo a noção de tempo parece confusa. É como se estivesse em queda livre, num buraco escuro, frio, úmido, sem fim, com muitas imagens passando pelos meus olhos e vozes e sons, vários, zumbindo nos meus ouvidos sem parar.

Procuro evitar aquela avalanche de informação, agarrar-me em alguma coisa. Mas não consigo encontrar nada para me amparar. Fico verbalmente agressiva, irritada com qualquer um ou qualquer coisa, impaciente. 

Sinto-me atacada, invadida a todo momento e, então, ataco de volta.Existe uma variação muito grande de humor. 
Pelo menos comigo, em toda crise, o pensamento de suicídio é recorrente. E a sensação de falta de esperança também. 

As duas piores coisas ao sair de uma crise são a vergonha e o medo da recaída”.

6 comentários:

Tay disse...

Sinto-me exatamente assim...
Quando eu finalmente conseguir algum especialista, porque eu tô procurando mas até agora nada, eu vou copiar alguns trechos desses depoimentos, tudo bem?
Porque eu por mim mesma não conseguirei me expressar dessa maneira... Clara.

Nathan Rodrigues disse...

Essa frase me descreveu o momento: "Procuro evitar aquela avalanche de informação, agarrar-me em alguma coisa"

Anônimo disse...

Tay, vc ainda não conseguiu forças pra ir num especialista? Poxa, é tão importante ...
Beijos
Maria Roberta

Tatiana Russo de Campos - Escritora e Artista Plástica disse...

É EXATAMENTE ASSIM. FORÇA. NÃO ESTAMOS SOZINHOS. TEMOS DE ACERTAR A MEDICAÇÃO. É HORRÍVEL, MAS TEMOS DE APRENDER A USAR MELHOR NOSSO CÉREBRO, E COM AJUDA É MELHOR.

Força, Tay.
Tatiana

Anônimo disse...

a pouco tempo descobri q tenho essa síndrome..
acho q me senti mais aliviada em saber isso tem um nome,e saber q não sou a unica, pois me sentia praticamente uma "ET" em meio a tantos distúrbios q não sabia o pq, nem como explicar..
Me sinto exatamente como vc, em cada detalhe...
Ontem msmo tive uma crise..
hoje custei a lembrar oq tinha acontecido, pq é realmente como se saísse de mim. da realidade, e entrasse em uma outra dimensão, como se transpassasse. |Isso acontece quando sou exposta a um stress mt grande. o pior é depois me sinto meio constrangida e até msmo esgotada, pois isso me custa mt energia..
tbm tenho toc.. não procuro ajuda pq já me adaptei a ser assm, a me aceitar.
acredito q não tenha cura, por isso vou tentando controlar e levar a vida..

Anônimo disse...

Ė mesmo assim que nós sentimos ... perdidos confusos, e no fim esgotados cansados, parece igoista mas ė bom saber que n estou só

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...