Translate

27/03/2011

Interpretações Alternativas Borderline

Os cuidadores geralmente não pedem ajuda quando os borders de suas vidas os elogiam muito.

Mas é importante lembrar que o lado de cima do splitting (idealização) também tem seu lado de baixo (desvalorização). 

Isso não significa que você deva ignorar as coisas boas que o border está dizendo – sem dúvida, você deve desfruta-los. Mas seja cuidadoso a respeito de super declarações positivas e exageros que são difíceis de cumprir. 

Também, seja cauteloso a respeito de declarações de amor e promessas muito adiantadas, porque elas podem estar baseadas na imagem que o border tem de você ao invés do que você é de verdade

É importante manter sua interpretação das coisas em mente, já que os borders geralmente são muito negativos ou muito idealizados. 

Às vezes não é o evento em si que provoca o splitting mas sim a interpretação que o borderline faz do evento.

(fonte: trecho extraído do livro Stop Walking on Eggshells)

7 comentários:

Carla Dias disse...

Olá Wally,

Faz tempo que não me dedico a estes espaços virtuais. Mas sempre que regresso encontro o conforto nas suas palavras.
Deveriam promover você a anjo-da-guarda (não sei se a expressão existe no Brasil. Em Portugal é uma figura protectora que cuida dos mais mais fracos ou desprotegidos.
Beijos grandes,
Carla

Wally elsissy disse...

Obrigada Carla, embora seja difícil aceitar título tão nobre ♥

Anônimo disse...

Wally você realmente é uma pessoa muito especial, mas muito mesmo. Eu serei mais atrevida e a elevarei a Arcanjo!!!
Adoro o seu blog, entro quase todos os dias e aprendo muito com você. Eu sou border e me trato. Meus sintomas não são tão fulminantes, mas sofro e me desespero muito. Ando sempre no limite, mas pendo mais para a neurose. Sou muito instável e angustiada. Minha alma é rompida e me enjou de tudo e de todos, mas vou vivendo.
Seu blog é maravilhoso, tenho lido tudo e confesso que me surpreendo com sua dedicação e carinho por todas as pessoas. Arcanjo? Com certeza. No seu perfil, li que vc curte musica árabe. Sou professora de dança do ventre há 18 anos que danço. Adoro a cultura árabe tb.
bjos,
Luciana

Wally disse...

Luciana,
Você é um doce.
E seu atrevimento é minha alegria e satisfação.
(mas já vou avisando: meu ego tá ficando inchado esses dias rsrsrs)

Eu AMO ajudar.

E se eu sei e entendo o que as pessoas estão passando então?... Nossa, eu tento fazer de tudo para fazê-las sentir-se melhor!!!

E o meu prazer está em ver o progresso se aproximando de cada uma dessas pessoas.

Sim, eu gosto muito da cultura árabe.
Fui casada com um egípcio por 7 anos.
Ficamos juntos por 9 anos.
Acho a dança do ventre lindíssima.
Na minha viagem ao Egito em 2008 fui a um cabaré :)
Se quiser ver as fotos:

https://picasaweb.google.com/101644721363838895426/Egito200802#

As fotos do cabaré estão mais ou menos na metade do albúm.

Beijão!!!!

Anônimo disse...

Wally, vou entrar agora mesmo para ver as fotos, muito obrigada!!! Também considero a dança do ventre belíssima, e a minha escola de dança é egípcia. Minha bailarina preferida é a Dina.
E em relação a vc, pode se sentir o máximo, pq é a mais pura verdade!!!
Nunca conheci uma pessoa tão generosa como você! É impressionante! que bom que Deus cria pessoas como você, aqueles escolhidos a dedo. Talvez vc seja border para provar a todos nós que todos podemos alcançar a felicidade.
É muito bom apreciar como vc se coloca de forma tão justa, humana, pró-ativa. Sempre atenta, pertinente, inteligente e perspicaz.
Vc é um ser humano muito especial e com certeza já é um Arcanjo. Não sei se vc sabe, mas Deus criou os anjos para servirem a humanidade, ajudar, amparar, socorrer. E vc é um deles.
Vc merece todo o carinho e muito mais.
Deus a abençõe.
Luciana

Wally disse...

Só posso agradecer por palavras tão gentis.

Aquilo em que me tornei tem sido uma combinação de várias coisas, inclusive do aprendizado que tenho adquirido com os comentários aqui no blog.

Só posso dizer que estou muito feliz, muito satisfeita...

Não preciso conhecer vocês pessoalmente para senti-los perto. E quero a todos muito bem.

Por isso fico batendo na mesma tecla de 'procurar tratamento'. Acho que pareço uma chata. E acho que muitos devem até ficar irritados comigo.

Mas acredite ou não, eu me importo.
E quando penso na advogada que encomendou a própria morte, na Amy Winehouse, e tantos outros fico pensando quantos mais terão que morrer?
E mesmo os que estão vivos mas estão vivendo muito mal em razão desse transtorno.
Temos que fazer alguma coisa.
Infelizmente as pessoas precisam morrer para as autoridades e a mídia darem atenção à alguma coisa...

muitos beijos e apareça sempre!!!!

Anônimo disse...

Wally, fico pensando nas suas palavras...Talvez fosse necessário um maior esclarecimento para a população sobre os distúrbios psicológicos existentes, uma maior conscientização. A maioria das pessoas desconhecem o distúrbio borderline e suas características singulares. Sou advogada de uma ONG que cuida de mulheres vítimas de violência doméstica e sou militante da conscientização do respeito ao próximo, dos direitos humanos a todas as pessoas e principalmente contra qualquer tipo de preconceito. Convivo e tenho amizade com pessoas portadoras do distúrbio borderline, bipolar, esquizofrênico paranóide, histriônica, narcisista, entre outros. Todos eles foram diagnosticados e se tratam periodicamente com profissionais altamente qualificados. Essa já a primeira dificuldade encontrada: ter um bom diagnóstico, acesso adequado a profissionais especializados no nosso distúrbio, medicamentos, bons psicólogos. A maioria dos psicólogos desconhecem o que seja borderline e ainda possuem preconceito. Acreditam que somos chatos, grudentos, que desistimos com facilidade do tratamento e ainda somos muito problemáticos.
Estou em terapia há dez anos com uma psicóloga maravilhosa. Nunca faltei a uma sessão. Não a perturbo e só liguei uma vez tarde da noite, por ocasião da morte de um parente próximo. E precisava de um suporte. Mas essa profissional sempre colocou limite em mim. Mas sempre me respeitou. Evolui muito com o tratamento e sou consciente da minha condição.
Mas te pergunto: quantos brasileiros tem acesso a esse tipo de oportunidade? É uma questão de saúde, de educação, conhecimento e de direito.
Faço a minha parte para com a sociedade, como pessoa e como advogada. Danço com a vida na dança do ventre onde trabalho a minha auto-estima.
Mas a admiro muito como ser humano, através de seu blog. Tenho aprendido muito com você. Eu a respeito muito. Vi suas fotos e a achei lindíssima! Cheia de luz!
Faço oficinas jurídicas com mulheres vítimas de violência e vulnerabilidade social e lá relato o aprendizado do seu blog e conto sobre a sua pessoa. ( Elas vibram e ficam muito sensibilizadas, tem que ver...). Ontém, eu fiz um workshop de maquiagem e foi maravilhoso, Wally, ver aquelas mulheres tão sofridas se olhando no espelho e se achando lindas...Foi um presente e tanto. Senti-me tão pequena, mas aí lembrei-me de você e de suas palavras, levantei o rosto, sorri e continei ajudando a se maquiarem e a resgatar "aquela" mulher forte e poderosa que existe dentro dela. Wally, você faz esse trabalho com louvor nesse blog.
Um grande abraço,
sua admiradora,
Luciana

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...