Translate

09/05/2011

Projeção e Rótulo Borderline


Quando alguém com TPB lhe rotula, ele está tentando inconscientemente transferir seus comportamentos, sentimentos ou características percebidas para você.

Quando projeta suas características em você, a pessoa com TPB se acha defeituosa, então ela o acusa de ter alguma coisa errada com você. 

Às vezes a falha que ela vê em outros é a mesma falha que ela não conseguiu ver em si mesma. Ás vezes não.

Quando projeta comportamentos, o border talvez lhe acuse de estar fazendo algo que eles estão fazendo atualmente. Ou, eles talvez usem seu comportamento real ou imaginário para absolver a si mesmos da responsabilidade por suas ações, ou os impedir de sentir vergonha por ter se envolvido no comportamento.

Uma outra maneira em que uma pessoa com TPB pode projetar em você é por acusá-lo de estar tendo sentimentos e pensamentos que realmente pertencem a ela.

Como todo mundo, as pessoas com TPB tem sentimentos, comportamentos e características negativas. 
Mas por causa do dividir – modo de pensar branco e preto – eles geralmente negam qualquer falha, porque isso os faria menos perfeitos. 
E se eles não são perfeitos, são inúteis. 

(fonte: trecho extraído do livro Stop Walking on Eggshells)

6 comentários:

Anônimo disse...

Gente isso é muito sério e perfeito!

Descreve com exatidão o que é ser vítima das projeções avassaladoras do borderline.
Eu passei por isso (EX namorado) e digo que é muito importante que a pessoa caia na real e perceba que é necessário cuidar de si e não se deixar ser o muro de lamentações,saco de pancadas ou lexotan do outro!Pq se vc deixar acrediteeee suas energias serão sugadas e no final de tudo vc estará deprimida achando que poderia sempre ter feito mais e caindo na idéia de que vc quem errou,fora a depressão pq enquanto vc uma pessoa normal se recupera de tantas pancadas,o Border em questão sai por ai fazendo passinhos de jazz provavelmente lançando ao mundo o quanto vc foi injusta e ineficiente com ele e o quanto que agora ele está bem melhor longe de vc(ou seja continua lhe agredindo com a diferença de vc não estar lá pra deixar ).
Não queira ajudar quem não quer ser ajudado,como diz este blog reconhecer o problema é o primeiro passo!

bjs Lú

Reflexões Borderline disse...

Lu, eu sempre digo que é de vital importância que o cuidador primeiramente 'se cuide'.
Do contrário como poderá ajudar?

a=( disse...

eu acho q isso dai serve pra todo mundo, nao só pra borders !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

qdo alguem vem te rotular, ou falar um defeito ´seu´
tenta achar na pessoa!

=]

Anônimo disse...

É, essa doença é difícil mesmo! Como para a gente é tudo ou nada, preto ou branco. E o nosso mundo interior é complexo, tumultuado, perturbado e confuso !!! Se a nossa própria identidade é instável, como deveríamos projetá-la senão dessa forma devastadora? A verdade é que não suportamos ver a felicidade e a tranquilidade do outro, quando dentro de nós só há o vazio, o tédio, a infelicidade e o nada!!! Nós projetamos no mundo exterior o caos que existe dentro de nós. E como somos egoístas e infantis, desconhecemos o que o outro sente. Essa é a nossa maior dificuldade, sentir e se colocar no lugar de outra pessoa. Desconhecemos isso e acabamos torturando aqueles que estão mais próximos de nós.
São valentes os cuidadores.
Ah, Wally...que dizer?
Bjos
Van

Wally disse...

Van, acho que você explicou muito bem. Como suportar nossa imperfeição tão latente?

E acho que vamos além da tortura por simples ignorância... tememos a rejeição por nossa imperfeição. E sem querer, contraditoriamente, acabamos por repelir quem mais queremos ao nosso lado =/

Beijos querida!!

Esperança disse...

Gente, a descrição feita acima é perfeita. Nunca me esqueço de uma noite, após fazer amor apaixonadamente com meu "border", meu amor, meu querido, ele virar para mim e dizer que eu estava fria e distante. Aquilo me fez temer tudo, por mim e por ele. Como ele poderia me acusar de algo que não me descrevia jamais. Fiquei tão magoada e estarrecida que mais uma vez não soube lidar com tamanho distanciamento afetivo e nos perdemos em uma discussão intermnável e claro, ele venceu!! Eu não tinha argumentos, a não ser aceitar suas palavras frias e ainda assim não trazê-lo para perto de mim! Como dói... é muito sério mesmo. Eles saem se apaixonando e fazendo de um tudo para outra pessoa que acabou de conhecer e a gente fica só, só com nossas próprias incompreensões.
Bjs
Esperança

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...