Translate

19/05/2011

Depoimento Borderline - Medo

Da série: Comentários que Merecem Destaque
Comentário feito nessa postagem
aqui.


Genaina disse...

Olá, sempre fui totalmente border, mas antes apenas era tratada como bipolar.
Porem descobri que se tratava desse transtorno. Bom nao sei como lidar, minha familia tbm nao.

Tenho muito medo de perder o meu marido, porque é mto dificil conviver comigo.

Estava mto bem na faculdade, porem tive uma crise nem sei bem direito o motivo, e agora to com medo, nao tenho mais vontade de ir pra faculdade, e me culpo muito por isso.
Se puder me ajudar. Te agradeço mto.

Maria disse... 

Oi Genaina, sou Maria e li seu comentário. Vou pedir pra Wally um espacinho aqui pra escrever enquanto ela mesma não escreve pra você. Com toda certeza ela vai te dar toda atenção e te esclarecer direitinho.

Como sou border e também havia sido diagnosticada primeiramente como bipolar me identifiquei com seu comentário.

É muito comum que os profissionais façam esse diagnóstico incorreto porque o transtorno bipolar já é estudado a mais tempo e o transtorno border não. Então, como existem sintomas comuns, os médicos tendem a errar o diagnósticos. Só um profissional que conheça melhor o transtorno borderline consegue diferenciar, identificar as diferenças e fazer o diagnóstico correto.

No transtorno bipolar a variação de humor (depressão pra mania (ou euforia) e vice-versa) pode demorar semanas. No border isso pode acontecer mais rápido. As vezes em questões de minutos. Vamos da angústia pra depressão pra alegria muito rápido. É uma montanha-russa. Também lidamos com um nível de ansiedade alta. O bipolar também tem esse sintoma..

Mas uma característica que define bem o border é o sensação de vazio interior, de solidão, o medo absurdo de abandono, a necessidade de apoio.

Essas sensações não se vêem descritas por pacientes bipolares.

Sei o que você diz quando relata que tudo é muito novo e que você e sua família não sabem como lidar com isso. Eu, pessoalmente, acho que é importante ter acompanhamento profissional e que ele te informe e a sua família sobre o transtorno e vá tirando todas as dúvidas que apareçam durante o tratamento.

É preciso que tanto vc quanto a sua família tenha um apoio no tratamento para melhorar a qualidade de vida - e isso é possível.

Um comentário sobre a sua falta de vontade em ir na faculdade. Não se culpe pelo que sente. Acho que é um exercício (eu tento fazer isso e digo, não é fácil mas é um exercício até ficar fácil, sabe?) tentar perceber porque vem essa vontade de não ir ...

Os medos são comuns, pelo menos em mim. Sinto muito medo. No entando, percebi que se dou muita atenção ao medo ele fica muito maior do que realmente deveria ser então tanto não dar tanto "poder" pra ele.
Como eu disse, são exercício de tentar controlar comportamentos que temos ...

Nós borders temos alguns comportamentos ... Outras pessoas, mesmos que não tenham um transtorno, têm outros comportamentos.

Todo mundo tentando ser um ser-humano melhor.
Não somos tão diferentes do resto.

Assim fica menos pesado. ;)
Beijos

9 comentários:

Carla Dias disse...

Para a Genaina:

Querida,

Border é uma doença como qualquer outra.
Eu sei bem do que falo pois minha filha que tem 23 anos, há mais de 10 anos que sofre desse transtorno.
De início foi difícil compreender. Mas com a ajuda de médicos especialistas no assunto; com consultas conjuntas, acabei por entender sua personalidade,
Deve encontrar quem a compreenda e a apoie.
Não de deve culpar NUNCA por NADA. Esse é um dos grandes problemas dos Borders.
A Faculdade e outras tarefas sociais de sucesso podem esperar pela sua recuperação.
Pela minha experiência, os Border são pessoas maravilhosas, sensíveis, fiéis amigos e normalmente super-inteligentes!
Quem os acompanha tem apenas que saber que eles se sentem sempre em risco de ser abandonados e por isso às vezes reagem mal.
Conte sempre com este espaço para nos falar.
A Wally é uma verdadeira especialista e amiga.
Não deixe de acompanhar os excertos que ela publica do livro "walking over egg shells".
Você não está nunca sozinha!
Existe um mundo enorme de gente como você que sabe exactamente como se sente e lhe pode dar dicas para se aceitar melhor.
Um Beijão
Carla

Tay disse...

Esta postagem me lembrou de uma história que passo dentro de casa, e que talvez seja o motivo da minha piora.

Genaina disse...

Agradeço esse apoio todo que estou recebendo. Obrigada Carla. Tenho muito apoio do meu marido ele tem muita paciencia comigo, a minha mae ta sempre ao meu lado...
Mas realmente sentimos esse vazio mas eu vou conseguir superar tendo coragem de fazer analise.
O problema é eu conseguir me abrir na analise, mas com força de vontade vou conseguir, e no futuro farei minha faculdade. Serei uma vencedora.
Obrigada mesmo. E concordo contigo somos muito carinhosos

Tay disse...

Por isso tenho medo/vergonha de procurar um médico e taus, pelo medo do erro de diagnóstico... ou sei lá.
Ser vitima de piada até em casa...

Tay disse...

Genaina, você vai conseguir sim...

Até agora, mesmo ser nem ter ideia do que eu seja, meu namorado ainda me apoia, mas tenho medo dele cansar da minha instabilidade e descontrole. Ate porque, eu já fiz isso exatamente pra ver se ele me largava ou não, e pra ele não ser obrigado a lidar com isso... mas ele ficou. Mas ao mesmo tempo não quero falar nada. Nem deixar ninguém preocupado. Dá mais vontade de ficar assim mesmo e tentar me controlar quando der crise do que procurar um medico... e ate descobrir que talvez seja coisa da minha cabeça, coisas que eu tenha inventado. Ou sei lá.

mm- disse...

A pessoa se 'moldar' de acordo com a personalidade do outro é um dos sintomas... E quando ela lê ou vê em filmes e se molda naquilo, mas muito pouco nos que a rodeiam... também poderia ser um sintoma?

Anônimo disse...

Olá mm-,

Borders tiveram dificuldade de formar uma identidade própria na infância (por vários motivos). Isso gera uma série de consequências como ter dúvidas do que gostam, do que querem, de ter uma objetivo e mantê-lo ... tudo isso é muito incerto e variável.

Esse se "moldar" a personalidade do outro vem um pouco em função disso. Como tem dúvidas de si, as vezes acham que o correto é ser como o outro é. Nesse momento, parece que tudo está resolvido e existe uma sensação de que finalmente as coisas entraram no seu lugar. No entanto, logo se questionam (e borders se questionam o tempo inteiro) e se sentem estranhos, confusos, incomodados ... tudo passa a não fazer mais sentido e vem um enorme o vazio.

Isso pode acontecer com filmes sim mas em menor nível. Pode acontecer de você ver um filme ou ler um romance e achar que você nasceu pra ser um ator ou o que o personagem é no filme: um montanhista, um advogado, um músico, etc.
NO ENTANTO, você questiona no seu comentário sobre isso ser um sintoma. Esse comportamento de se moldar a filmes seria um sintoma de TPB se estivesse associado a outros sintomas considerados característicos de um TPB. Por exemplo, ele acontece mas num grau bem menor que o de você dar início a cursos e largar, não dar continuidade a empregos, sentir vazio, ter pânico de abandono e rejeição, dentro outros sintomas do TPB.
POR ISSO, só um médico, dentro do que você descreveria pra ele, pode dizer se se trata de um TPB.
É muito importante conversar com um médico quando surgem dúvidas. Ele vai orientar se for TPB.

Beijos!!
Maria

Reflexões Borderline disse...

Mm, isso chama-se Identificação Adesiva e é um mecanismo de defesa.

Tem um post sobre isso.
Dá uma lida aqui:

http://vidadeumaborderline.blogspot.com/2011/02/mecanismo-de-defesa-borderline.html

bjos

Emily (mm-) disse...

Nao, eu sei... além de outros sintomas, claro. Mas é qe eu nao ache que eu me molde na personalidade das pessoas ao redor, mas já quando se trata de filmes, livros, novelas, etc... acabo 'pegando' alguma coisa sem querer. a minha pergunta foi mal feita, tipo, seria se isso teria alguma relaçao com o fato desse tópico de se moldar através da personalidade alheia, não sei se consegui ser clara... mas obrigado. Obrigadoa, ja vi o post!

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...