Translate

01/02/2011

Esculpindo Cadáveres

O sonho de ser imortal sempre fez parte da mente humana desde os tempos mais remotos.

Alguns não se cansam de se enveredar por caminhos obscuros na fracassada tentativa de vencer a morte.

Me lembro de ter lido a respeito de um cientista americano se não me engano que congela os corpos de seus clientes por muitos anos para ressuscitá-los apenas quando a cura da doença que os matou for conquistada.

Depois veio a história da clonagem que inicialmente dizia-se ter como finalidade o transplante de órgãos e membros exteriores e que depois começou a semear idéias de imortalidade na mente dos mais fracos no entanto mais ambiciosos. Você perdeu um filho? Não se desespere! Nós faremos um clone da criança.

Polêmica após polêmica chegou a vez de o Escultor de Cadáveres entrar em cena.

Gunther von Hagens foi tão aplaudido quanto criticado ao criar a técnica da plastinação um procedimento que preserva a matéria biológica a fim de resguardar cadáveres humanos para sempre.

A finalidade da plastinação, segundo seu criador, é a instrução nas ciências naturais, o conhecimento nas áreas de saúde e a exibição museográfica. (wikipedia)

Mas segundo uma amiga que assistiu um programa sobre o assunto na NatGeo, algumas pessoas entrevistadas confessaram que são a favor da técnica porque é uma forma de se imortalizar.

Minha opinião?
Bem, acho que gosto não se discute desde que não prejudique o meu próximo.
E apesar de ser considerada anti-ética, a tal técnica é legítima e legal, portanto ele não está nem agredindo a lei nem forçando alguém a ser seu cliente.

Se eu aderiria? Não!
Não pagaria e não aceitaria como presente para ter meu cadáver esculpido e exposto como uma peça de arte.

Mas como a curiosidade é meu ponto fraco, fui fuçar o mundo virtual em busca de algumas fotos de obras do tal artista cadavérico.

Ei-las:











2 comentários:

Felipe M. disse...

Sinceramente, não posso negar que a anatomia humana é uma arte magnífica e que adoro; já visitei exposições sobre anatomia.
Mas me "imortalizar" desta maneira? Jamais, preferiria ser empalhado e colocado na sala de estar, rs; ou então mumificado rs!
Mas existem várias formas de sermos imortalizados; seja por nossos atos ou nossas obras!
Abraços enormes!

Wally elsissy disse...

Eu também Felipe.
E concordo quando você diz que há várias formas se sermos imortalizados através de nossos atos...

beijos

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...