Translate

25/02/2011

Depoimento Borderline - Eu tenho TPB e Ele, Depressão

Da série: Comentários que Merecem Destaque
Comentário feito nessa postagem aqui.

Boa Noite Wally!

Primeiramente obrigada por lembrar de mim...fiquei emocionada =) você é muito D+ mesmo!!!!!!!!

A respeito do tema acima, realmente como você disse:

"Uma palavra dita fora de hora e da maneira errada pode por tudo a perder..."

Acredito que o que funciona para determinada pessoa que tenha borderline, "não" necessariamente vai funcionar para outra pessoa.
Dai temos de ter um certo cuidado.

Meu esposo tem depressão desde a adolescencia e gastrite nervosa.
A depressão dele é forte de ficar até 3 dias sem tomar banho, ficar bem triste, as vezes não querer se alimentar direito, ser anti social... 

As vezes falo: o casamento de uma borderline & um depressivo.

E fico triste de as vezes piorar a situação dele com acessos de raiva, ciumes, não fazer coisas domésticas para ele...

Quanto a parte anti social dele, até melhorou pois de tanto ciumes meu e auto grau de anti socialismo ele começou a valorizar: sair e conversar com pessoas, amizades...

Ou seja, casei achando que ele ia cuidar de mim...porém, ele também precisa de muitos cuidados...ele é magrinho, frágil...

Mas acredito que ele me ama muito por isso está sendo companheiro todo esse tempo.

Engraçado eu e ele somos bem parecidos em sentimentos e emoções...mas também eu entendo de certa forma o que ele sente pois border geralmente tem episódios depressivos.
.
Eu quero ajudar ele mas as vezes tenho acessos borders... Hora tenho dó, hora ciumes, raiva... Tento compensar marcando médicos para ele, comprando coisas que ele gosta de comer, etc...
Mas mesmo assim ele se sente um passarinho em uma gaiola...é triste Wally!!!

Desculpe o desabafo!!!

Bjus Priscila MT.

15 comentários:

Hamires Cristine disse...

Nossa.

Eu sempre tento descobrir pela lógica se é melhor casar com alguém que sinta algo parecido com o que eu sinto - para que possa me entender - ou alguém que não sinta - para que possa suportar. Escolha difícil.

Meu namorado não tem esse tipo de problema, não sente as coisas como sinto. É bastante intenso, mas também bastante racional. Acho que tenho sorte, sei lá. Ele vive me perguntando 'o que uma garota como você faz com alguém como eu?', e eu simplesmente não entendo. Só porque eu sou polivalente intelectualmente. Bah. Ele também é. Acontece que a resposta pra pergunta dele é justamente essa: ele é capaz de se importar e entender o que eu sinto, aceitar, sem que seja preciso ele sentir - ou, como ele diz, a empatia é tão grande que ele sente 'por tabela'. E por isto digo que tenho sorte.

Mas eu não vim aqui pra ficar exaltando o meu amor de novela. Rs. É que era uma questão minha isso de talvez não ser capaz de fazer alguém feliz, e ele veio pra me mostrar que não é o fim do mundo.

Quanto aos desenhos e fotos, Wally, sim. Os desenhos, mais especificamente, porque as fotos eu escolho algum dos frutos da minha mania de fotografar coisas. Há um post com uma foto da internet, e só.

Um abraço!

Ah, é muito gostoso isso de as pessoas falarem sobre suas historias nos comentários e você dar destaque a eles. É algo que, com certeza, tem muito a ajudar. E seu blog tem credibilidade, acesso. Ajuda demais. Admiro este lindo e produtivo trabalho que fazes aqui.

Wally elsissy disse...

Hami eu também... fico muito encucada pensando se é melhor para o casal quando ambos sofrem de um TP ou Depressão etc ou se é pior.

Meu marido também não tem esse problema.
Pelo contrário, ele é o oposto de qualquer perturbação mental.
Tudo isso é um mundo novo pra ele.
Mas assim como você, eu também acredito ter tido muita sorte.

Border não é pra qualquer cuidador não... especialmente se o cuidador é o parceiro(a) do border em questão.

Obrigada pelos elogios e por estar sempre presente aqui no blog.
Os comentários aqui também me ajudam muito.
Por isso tive a idéia de dar o destaque. Porque ou o comentário me ajudou muito ou é interessante demais e pode ajudar a outros. Ainda bem que há pessoas colaborando!!!!

Um beijão!!!

Anônimo disse...

Eu me sinto abandonada o tempo tdo e passo a maioria do tempo me sentindo vazia, sempre acho que as pessoas não ligam pra mim e quase sempre uma palavra basta pra eu achar isso. Me apaixono e desapaixono rapidamente, um dia amo no outro dia naum. As vezes acho que tem gente no meu quarto.Me sinto a pessoa mais vazia do mundo.não consigo concluir uma coisa com interese no inicio adoro depois passo a odiar. quando me falam qualquer coisa eu naum me controlo e explodo ou tenho crises de choro que acho super fundamentadas e depois naum consigo mais saber pke estava chorando.Não consigo dormir sozinha, sempre tenho crises de solidão ou acho que as pessoas não me amam ou podem me abandonar sem eu saber. Sempre acho que as pessoas estaum bravas comigo. As vezes me sinto taum vazia que quero morrer. Tenho coisas como prestar atenção nas pequenas coisas e concluir um milhão de coisas que naum exitem. também sou mto anciosa e as vezes se naum fizer na hora depois naum faço mais pke a vontade passa e eu nem saberia explicar pke eu queria antes. Eu digitei tdo isso num monte de site e me disseram que podia ser boderline, eu quero ser como os outros!... Pessoas com borderline geralmente procuram ajuda como eu? ou são incapazes disso? Alguém pode me esclarecer isso?... Se puder não demore, to relamente me sentindo vazia talves amanha passe como sempre oou talvez amanha eu me mate... responda atraves dessa pagina de post.. volto pra conferir em breve...obrigada

Anônimo disse...

oi anônimo, muito do que vc descreveu é o que borders sentem. eu sinto. acho que qquer pessoa procura se entender e, por isso, acaba procurando ajuda. quando eu fui corretamente diagnosticada, eu me senti um pouco aliviada pq vi que existiam mais pessoas como eu e isso me confortou um pouco pois fazia parte de um grupo. era muito ruim não me encaixar em nada. por isso, eh importante vc ter o diagnotico de um profissional. mas a sua descrição eh muito parecida com sintomas borders.
Aguarde o comentário da Wally, tá?
Beijos
Maria

Wally elsissy disse...

Anônimo, eu respondi num novo post.
Acesse esse link: http://bit.ly/eru454

Abraços e boa sorte!!!!

P.S. Maria, mais uma vez muito obrigada por ajudar!!!

Anônimo disse...

Gostaria de ajudar, mas não sei qual é o blog ou e-mail da primeira anônima. Seria possível publicar alguma informação aqui? Com autorização dela, claro. Obrigada.

Anônimo disse...

Oi Wally, imagina ... vi o comentário dela ... e sei como é, vc sabe, todos nós, borders, sabemos ... essa sensação de absoluta solidão é horrível ... um desespero terrível ... tenho encontrado muita informação em seu blog e vejo que é uma fonte de ajuda pra muita gente.
Grande beijo
Maria

Nathan Rodrigues disse...

Wally, sempre achei que o seu Blog tem um papel salvador de vidas, de ajudar as pessoas a superar isso. É uma espécie de B.A. (Borderlines Anônimos).

Wally elsissy disse...

Anônimo, se a anônima voltar pra ler os comentários ela pode deixar um email ou MSN se desejar.

Mesmo o autor do blog não tem acesso à origem dos comentários anônimos.

Wally elsissy disse...

Maria e Nathan,

Muito obrigada pelas palavras que vão além de um mero elogio... trazem muita força.

abraços

Anônimo disse...

Oi, eu que escrevi o post anterior(a primeira anonima), alguns comentários me ajudaram, mas ainda não sei como estou, ainda me sinto totalmente vazia e infelizmente até o fato de procurar ajuda pela internet colabora pra isso pke se alguém estivesse aqui comigo e percebese como me sinto isso não seria necessario, decidi procurar ajuda de um médico pra me ajudar a organizar minha mente, meu e-mail é: Bea_s@live.com... obrigada, por tdos os pots que pude ler aqui, por tentarem entender o que sinto.

Anônimo disse...

Oi Bea (posso te chamar assim?),
Eu imagino como se sente porque a internet deixa as pessoas um pouco distantes umas das outras mas, ao mesmo tempo, veja, te dá a possibilidade de desabafar e ter pessoas aqui que podem te ouvir, que sente coisas semelhantes a você e, acredite, que também se sentem solitárias, com medo, vazias ... isso é recorrente.
Você deve sim buscar um profissional. Sua decisão é sábia em buscar ajuda. É fundamental pra você ter um diagnóstico e começar um tratamento.
Faz pouco tempo que achei o blog da Wally e encontrei aqui uma ótimo local pra compartilhar coisas que antes só conseguia falar no tratamento. A Wally tem bons posts, ela mesma dá depoimentos pessoais, hoje a Helena Polak também fez um comentário muito querido, tem muita informação.
Você não está sozinha, viu?
Beijos
Maria

Anônimo disse...

Obrigada Maria(pode me chamar de Bea). Espero que as coisas melhorem agora. Obrigada pelo apoio de tdos.Saber que tem alguém que se sente como eu é sempre bom pke abre perspectivas de novas soluções.É realmente ruim se sentir assim é como se eu não estivesse no mundo. Não consigo definir direito a sensação de solidão que tenho.Queria ser um pouco mais estável.De novo obrigada
beijos

Wally elsissy disse...

Bea, pra ser mais estável você vai precisar fazer uso de um estabilizador de humor. Ajuda.
Não dá pra ficar sem tratamento.

Maria, muito obrigada pela força.
Estou muito feliz em ter encontrado tanta gente bacana aqui...

A Noiva Cadáver disse...

Por tal motivo meus relacionamentos com pessoas com transtornos nunca deram certo. Hoje estou casada com uma pessoa sem transtorno algum e ele cuida demim, eu dele do meu jeito, quando posso da maneira que posso, e ele entende.
Isto não diz necessáriamente que duas pessoas com transtorno não possam ter um relacionamento feliz, um cuida do outro do jeito que pode, e assim funcionará para qualquer relacionamento, entre pessoas sem transtorno ou com.
Tudo vai dar certo querida.

:)

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...