Translate

23/07/2011

Quero Ser Borderline

Da série: Termos de busca
Há dois dias fui surpreendida pelo termo de busca acima. Acho que fiquei uns 5 minutos com o queixo caído.

Como pode, me digam, alguém desejar ter um transtorno de personalidade?!??

Então me lembrei do depoimento de uma leitora do blog: O meu sonho é ser paraplégica. Se lembram?

No entanto, não sei bem porquê, mas o desejo de alguém ter um transtorno de personalidade me assusta mais do que o desejo de alguém em ser paraplégico.

Talvez pelo fato de que alguém que deseja ser paraplégico já ter um tipo de transtorno, ainda que não de personalidade. É uma parafilia, lembram-se?

Agora, alguém que deseja ter um transtorno de personalidade tem o que? Um desvio de conduta? 

Porque eu sinceramente não consigo acreditar que alguém emocionalmente (e/ou mentalmente são) possa ter um desejo tão masoquista!

Se você, leitor, tiver alguma luz para me dar, por favor, não retenha suas palavras.
Wally

21 comentários:

Nathan Rodrigues disse...

enquanto nós, dariamos tudo para não ser border, outros fazem disso um desejo...

mas sinceramente isso não me entra na cabeça. Não há motivos para um desejo desses...

Hamires Cristine disse...

Ah, pra mim, uma pessoa que quer ter tem algum problema sério de personalidade.

Ou talvez essa pessoa tenha digitado isso porque tem alguem na familia que esta conhecendo os sintomas e se autodiagnostica, e então o autor da pesquisa estaria com certo preconceito, por falta de noção e de orientação, valores mediocres, ou sei la o que, e pensando que a pessoa que diz ser borderline na verdade quer ser borderline para tirar as vantagens que uma pessoa mal informada pode achar que um borderline tem devido ao "rotulo" de borderline. Então, a pesquisa talvez fosse, nesse caso, pra tentar descobrir se há outras pessoas que querem ser borderlines...

Ou talvez um border tenha pesquisado pra ver se alguém quer, em um momento de revolta, tentando provar pra alguma outra pessoa que não acha que essa coisa de borderline é balela e que somos aproveitadores, abusadores, que NINGUÉM quer ser borderline.

Sei lá. Essas foram as hipoteses que me ocorreram.

Mas, sem duvida, se alguém afirma com honestidade que quer ser borderline, só pode ter algum problema...

Hell Galhardi disse...

As reais desvantagens em ter TPB (exceto a auto-mutilação, comportamento suicida, etc) só são realmente sentidas por quem tem de fato TPB, Logo, uma pessoa que não conhece o sofrimento que aflige um border pode enxergar, com certa facilidade, este transtorno como uma boa desculpa para agir compulsivamente, ter ataques de ira, agredir as pessoas, entre outras coisas que borders e não-borders fazem, mas com motivos, sentimentos e contextos diferentes, e, então, se iludir com a idéia de que a 'relação custo/benefício' compensa.
Ou talvez essa pessoa ache que ser Border é ser psicopata, sei lá. Rs.
É possível que haja pessoas que acreditam que o funcionamento do Border é meramente comportamental, e que ele não sinta culpa ou angústia verdadeiramente. Um teatro. Assim, seria bem tentador ser border...
Assim como Muitas pessoas se auto intitulam Bipolares, ou outras coisas, sem nem mesmo ter conhecimento do que isso realmente significa.

Hamires Cristine disse...

Só completando o que o Nathan disse...

Eu daria minhas duas pernas. E viveria em minha cadeira de rodas com minha felicidade e minha tristeza, sem distorções, sem projeções, sem coisas vagando no escuro, sem as tais das angústias impensáveis... Quando eu estivesse triste ou com raiva, eu teria certeza do motivo. Quando eu brigasse com alguém eu saberia que as chances de eu estar distorcendo a situação seriam as mesmas de qualquer pessoa que tem a percepção, a emoção, normais...

Sim, eu daria minhas duas pernas. =/

O que não significa que eu quero perder minhas pernas. Só se fosse pra nunca ter sentido essas coisas que eu sinto...

Hamires Cristine disse...

Afinal, ser Border e ainda por cima não ter pernas é demais pra qualquer ser humano. Rs.

Anônimo disse...

Você disse tudo: "desejo...masoquista". Masoquismo acho que essa pessoa ja tem um transtorno :p
Ass: Paty

Psiquismo Desmistificado disse...

Olá minha amiga Wally
É um prazer participar de seu blog, que aliás está muito bom! Parabéns!
Vamos lá, darei minha opinião a respeito.
Não consigo acreditar que alguma pessoa queira ter qualquer tipo de doença ou um transtorno que afete sua vida.
A respeito dos transtornos mentais a um sentimento misto de medo, repulsa ou curiosidade das pessoas que desconhecem o assunto.
No caso do termo da procura, pode ter sido uma mera curiosidade a respeito, ou o fato de haver algum diagnóstico pessoal ou familiar.
Mas devemos levar em consideração uma palavra importante: GLAMOURIZAÇÃO.
Sim, nos últimos tempos as doenças mentais passaram por um processo de glamour. Parece que ficou chique, para alguns artistas nacionais ou internacionais, afirmar que têm determinada doença mental. A depressão já esteve na moda, depois veio a síndrome do pânico, e agora é o Transtorno Bipolar. Tenho observado bastante isso.
A internet e a mídia facilitaram bastante o acesso aos assuntos relacionados às doenças mentais, tornando possível às pessoas leigas um maior conhecimento acerca dos sinais e sintomas destas doenças. Isso teve um lado positivo, de certa forma, pois diminuiu o vazio imenso entre os "sanos" e "insanos", cooperando para desmistificar e tentar diminuir um pouco o preconceito. O lado negativo é que deixou transparecer uma falsa imagem da questão, fazendo parecer a muitos que a loucura ou as doenças que afetam a mente e o emocional estariam associadas a uma veia artística.
Muitos artistas famosos foram acometidos por doenças mentais, mas não pode, jamais, haver a correlação entre doença mental e genialidade. Isso é uma idéia romantizada e errônea.
Quem não sofre ou nunca sofreu de um transtorno mental não consegue ter a dimensão exata dos problemas e sofrimentos acarretados. A única associação que consegue fazer é de uma forma glamourosa.
Enfim, essa é minha opinião.
Um grande abraço

Reflexões Borderline disse...

Muitíssimo obrigada a todos, pelos comentários.
Estou bem mais conformada com o termo de busca depois de vocês terem compartilhado suas opiniões.

Um grande abraço

Anônimo disse...

Oi Wally,
Eu acredito que uma pessoa deseje ter algo quando fantasia a respeito daquilo. Fantasia coisas boas. Ninguém que realmente conhece TPB gostaria de ter o transtorno. Alguém que tem um amigo, parente ou nós mesmos que somos borders nunca desejaríamos ser borders porque sabemos o tamanho da dificuldade que enfrentamos.
Soa pra mim como alguém dizer: "queria ser esquizofrênico" achando legal o fato de um esquizofrênico ver pessoas e até falar com essas visões. No entanto, não tem a menor noção da dor, sofrimento, angústia a que um esquizofrênico está sujeito.
Seria o mesmo com quem deseja ser border.
Já vi pessoas desejando ser bipolares por achar "bacana" a fase da mania. Depoimentos assim eu já testemunhei.
As pessoas falam por ignorância dos transtornos. Total e completa ignorância.
Bem, vocês viram que a Amy Winehouse foi encontrada morta hoje? Ela era border. Veja que bom ter o transtorno, não é? Essas pessoas que sejam ter transtornos que não entendem deveriam dar graças por não tê-los.
Beijos
Maria Roberta

Anônimo disse...

Ah, com certeza essa pessoa desconhece o que é ser um borderline. Eu sou apaixonada por um homem borderline e estamos juntos desde 2008. Entre idas e vindas. Ele já me machucou muito, hoje sei lidar com essa patologia porque depois de anos de terapia descobri-me que ser "cuidadora" alimenta o meu ego, sinto-me poderosa ao cuidar dele e com essa relação superficial deixo de enxergar e lidar comigo mesma. Também tenho patologia complementar com a dele. Vejo o sofrimento dele constante, o vazio e o tédio. Eu estou sempre esperando por ele, quando ele vai embora, pq sei que logo ele estará de volta. E eu o recebo de braços aberto, pq a volta não é demorada e é tão boa!!!
Então para aquelas pessoas que acham que é legal ser borderline, não imaginam a loucura e o sofrimento que se passa com esse transtorno...
Eu sofro muito quando ele é cruel, com o ciúme patológico, com a impulsividade, com a raiva, a ira, os maus-tratos. Eu sou apaixonada pela fase de ideação, quando ele é maravilhado por mim, para não muito tempo depois, ele estar enjoado e me deixar e depois começar o ciclo tudo de novo. Uma verdadeira montanha-russa. também estou lutando para me apaixonar por um homem normal.

Anônimo disse...

Acredito que a pessoa que pesquisou isso também possa estar buscando motivos desesperados de achar um motivo para seus comportamentos, ao mesmo tempo que não faz sentido, pois se ela desconfia que seja border, não iria querer ser... só se fosse pra ter uma razão, pra não ser taxada como louca... como se fosse um escape, uma maneira de pensar: 'Não sou estou ficando louca, talvez eu seja isso, e preferia ser borderline do que não ter explicação para meus comportamentos.' Mas não significa que ela queria ser realmente, pra fazer cena ou algo parecido. Dig isso pois desconfio, tenho quase certeza de que tenho esse transtorno, mas isso não significa que eu QUEIRA ter, e sim que eu preferia ser diagnosticada do que não achar um motivo para estes comportamentos. Mas conhecendo sintomas, e comportamentos, é claro que preferia que me dissessem se tratar apenas de uma depressão ou algo assim, alguma coisa mais controlável e passageira, mas não, isso se estende por anos já. E eu cheguei a um estado que eu realmente não tenho e não consigo mais limites. Conhecendo realmente, ninguém gostaria de ter... exatamente como disse a Maria.

(Também acho que ela era border. Tem os traços exatos, sintomas... e as letras de suas músicas.)
Mas enfim, é complicado, acho que consegui expressar mais ou menos o que sinto e acho.

Mas os comentários acima, principalmente os do Hell e da Hamires, principalmente, fazem todo sentido. E a Hamires chegou muito perto do que eu quero dizer.

Ficou meio confuso mas acho que dá pra entender...

Felipe disse...

Hahaha... esse pessoa só disse uma besteira dessas pq ela sabe q as coisas não funcionam assim. Não é um interruptor q vc pode ligar qdo der na telha.

Victtória disse...

E depois nós é que somos transtornados. Perto dessa pessoa ai, somos completamente normais.
Se ela quiser trocar, eu topo, na boa rsrs
Wally, adorei seu blog. Fui diagnosticada há um tempo e só agora tive coragem de encarar. Fiquei muito feliz por encontrar um blog onde eu me sinta incluida, pela primeira vez. Parabéns =D

Wally disse...

Seja muito bem-vinda ao grupo Victtória :)
Participe sempre e sinta-se em casa!

Um beijão

Anônimo disse...

Preciso confessar uma coisa, eu já pesquisei por isso, mas não foi pq eu realmente queria ser borderline, eu queria era uma explicação para toda a dor que sinto, uma dor que pra mim não tem explicação, uma explicação para meu comportamento, eu pesquisei muito sobre isso, eu acho que posso realmente ter borderline, mas não é o que eu qurero, e ao mesmo tempo é a explicação que eu procurava.
Ass: Elise

Anônimo disse...

Por favor, Wally, me responda, preciso de ajuda?
Ass: Elise

Wally disse...

Elise, eu não sabia que você estava esperando uma resposta.
Bem, esta situação é desorientadora. A falta de decisão e a angústia pela incerteza são uma constante. Tudo isso está relacionado ao tipo de processo de pensamento e sensações em relação aos fatos da vida. Uma boa psicanálise consegue te dar capacidade de decidir e de lidar com os problemas que hoje parecem impossíveis de resolver.
Acho que posso dizer que a psicanálise acalma e dá coragem. Acalma para pensar corretamente e decidir. E dá coragem para assumir e agir na escolha. Posso indicar o psicanalista Henrique Trejgier, com quem me trato. Escreva para ele pois ele é muito receptivo e vai te orientar. Quem sabe, se você quiser, pode vir a fazer análise com ele. O Site dele é www.cdpsi.com.br e o e-mail é menteplena@gmail.com
Abraços
Wally

Anônimo disse...

Muito obrigada, Wally
Ass: Elise

Wally disse...

Disponha Elise!!

Gesiel Carvalho De Oliveira disse...

Sou borderline caracteristicamente nítido. Estou em tratamento para amenizar minha dependência química. Não gostaria de ser borderline, gostaria de ser eu mesmo!

Unknown disse...

Sou borderline e sei muito bem o que passa um paciente com eta patologia. Só diz uma asneira dessa, quem é totalmente ignorante. Sofremos demais. E eu, hoje com 50 anos, ainda corro atrás da minha felicidade, que parece tão distante. Sou discriminada por todos. Sei que sou chata, intolerante e totalmente sem noção da realidade, e isso afasta todos de mim, mas não consigo mudar. Sofro demais com isso. Só sendo um borderline para saber do que falo... :(

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...