Translate

25/07/2011

Depoimento - Cuidadora Apaixonada

Da série: Comentários que Merecem Destaque
Comentário feito nessa postagem aqui.

Eu sou apaixonada por um homem borderline e estamos juntos desde 2008. Entre idas e vindas. 

Ele já me machucou muito, hoje sei lidar com essa patologia porque depois de anos de terapia descobri-me que ser "cuidadora" alimenta o meu ego, sinto-me poderosa ao cuidar dele e com essa relação superficial deixo de enxergar e lidar comigo mesma. 

Também tenho patologia complementar com a dele. Vejo o sofrimento dele constante, o vazio e o tédio. 

Eu estou sempre esperando por ele, quando ele vai embora, pq sei que logo ele estará de volta. E eu o recebo de braços aberto, pq a volta não é demorada e é tão boa!!!

Então para aquelas pessoas que acham que é legal ser borderline, não imaginam a loucura e o sofrimento que se passa com esse transtorno...

Eu sofro muito quando ele é cruel, com o ciúme patológico, com a impulsividade, com a raiva, a ira, os maus-tratos. 

Eu sou apaixonada pela fase de ideação, 
quando ele é maravilhado por mim, para não muito tempo depois, ele estar enjoado e me deixar e depois começar o ciclo tudo de novo. 

Uma verdadeira montanha-russa. 
Também estou lutando para me apaixonar por um homem normal.

87 comentários:

Anônimo disse...

Olá,

Me comovi com o seu depoimento,querida procure ajuda,vc parece uma pessoa consciente de que é doente,vcs não estão unidos por sentimento e sim pela doença.Vc precisa estar resolvida com suas questões,pensar e olhar para si é necessário.Vc não ajuda seu namorado desta forma.Pq vc acaba se misturando com ele!

Muito difícil mesmo conviver com um border,já tive está experiência e hj consegui me livrar,mas foi difícil para mim também.Olha tente...ainda que seja passinhos pequenos siga à diante no final vale a pena.Todo mundo merece ter alguém que o ame e o respeite e não porque isso é o ideal ,mas porque isso é direito e possível.A vida não precisa ser tão dolorosa,é desgastante,cansa agente ter que pensar cada atitude por conta da pessoa,medir tudo e muitas vezes tomar pancada do nada.Não deixe que ninguém a rebaixe,vc pode acredite!A vida não precisa ser tão dura!

Boa sorte na sua caminhada.

Ops :Querida Wally já notou que há muitos cuidadores visitando o seu blog,mulheres e homens que se relacionam amorosamente com um border?Querida vc podia postar algo sobre isso o que acha?

Reflexões Borderline disse...

Olá :)

Recentemente eu criei uma categoria "Dicas para o Cuidador".

Tem alguns posts lá.

Mas o que exatamente você sugere que eu poste?
Algum tema específico?

A Noiva Cadáver disse...

Bem entendo, não sou border mas bipolar e toda vez que eu me relacionava com homens de problemas semelhantes ao meu, era uma montanha russa. Hoje o marido que possuo é isento de qualquer transtorno, a minha relação é ótima, claro que para alguém sem transtorno algum é dificil entender algumas atitudes de nós que o temos, mas se ele for inteligente o suficiente e vir a te amar compreenderá. Não é aconselhavel pessoas com transtorno se relacionarem com terceiros também com transtorno, mas pode dar certo, porque não?

Psiquismo Desmistificado disse...

Olá,
Interessante neste post é quão doentio pode ser o relacionamento entre duas pessoas.
Fez-me lembrar uma outra situação: uma pessoa "sadia" convivendo com uma pessoa que apresenta qualquer tipo de transtorno mental acaba adoecendo, inevitavelmente!
E isso gera um circulo vicioso de doença.
Grande abraço

Reflexões Borderline disse...

Olá Dr.
Mas e se essa pessoa que tem o transtorno se trata?

Anônimo disse...

Olá Wally e queridos colegas...

Acredito que sim no caso descrito ambos precisam se tratar.Podemos pensar na seguinte frase "Se não estamos resolvidos com agente mesmo,não podemos cuidar do outro!".
A pessoas que têm um transtorno pode sim se relacionar,desde que isso seja saudável para ambos,que não parece ser neste caso.Aí é tratamento de ordem mental.Pessoas com baixo estima e dependência emocional tendem a se ligar com pessoas que lhe parecem à sua altura ,não que este seja o caso mas é um exemplo,temos que nos ligar uns aos outros por amor e não por faltta disso,pela doença!
Isso que sugeri Wally ,de vc postar algo para pessoas que estão ingressando em uma relação com o border ,para que não haja idealizações e se a escolha for ficar com o border que seja por amor e não por ilusão ,deve-se ter firmeza para decidir pq é algo muito complicado.Acredito que o esclarecimento é necessário já que há tantos comentários pessoais aqui!Dê o seu pontinho de vista de como é estar do outro lado da linha também ,o que acha?

forte abraço!Renata T.

Anônimo disse...

Nossa nunca pensei que o meu comentário teria tanta repercussão, mas que bom que as pessoas me compreenderam. Realmente tenho consciência desse relacionamento que não é sadio. E olha que não é nada fácil. Desde julho de 2008, para ser mais precisa. Estou conversando com ele( border) sobre essa situação e que não estou feliz com ele. Minha terapeuta está trabalhando comigo que eu sou "merecedora" de ter um namorado saudável. Que me ame todo dia, que me trate bem todos os dias, aquele namoro calmo, tranquilo. Permitir que o outro também cuide de mim. Eu já estou conseguindo depois de expor esse "segredo" para todos vcs, dizer não para ele: Não estou feliz! Não estou mais disponível! E olha que nesse sábado até consegui olhar com certo interesse para outros caras. Eu estou no caminho certo para trilhar a minha vida do lado de um homem que seja meu companheiro e meu amigo.
Ele sabe que é border e recusa-se a fazer um tratamento. Aprendi com vc Wally, que não sou heroína de romance, que posso escolher dizer não e que minha megalomania de ser "salvadora" desse homem tb não passou de uma ilusão. Aliás tudo o que eu vivenciei com ele ( Fred) foi idealização atrás de idealização. Vou conseguir em breve romper definitivamente com ele, torçam por mim.
Muito obrigada pelos comentários, obrigada pelo carinho, significam muito para mim. Boa sorte para todos os cuidadores e especialmente para os borders.

Reflexões Borderline disse...

Muito obrigada!!!
Fico feliz que tenha contribuido para ajudar de alguma forma.
De fato, enquanto não aprendemos a dizer 'não', fica impossível libertar-se de muitas coisas.

abraços

Reflexões Borderline disse...

Mais um comentário... o fato dele ter consciência do problema e ainda assim recusar-se a fazer um tratamento é muito triste.

Reflexões Borderline disse...

Renata,

Agora entendi o tipo de post que você sugeriu.
Vou pensar em algo para publicar, OK?
Obrigada pela sugestão e visita.

bjos

Anônimo disse...

Estou em prantos pq sou esse homem que a cuidadora apaixonada fala. Ela acabou me contando que havia postado em um site a nossa situação e que se sentiu mais leve e tranquila. Confesso que ouvir esses comentários me causaram um sofrimento atroz. Não me considero um doente. Eu a amo domeu jeito, mas sei que a faço sofrer e lendo esse depoimento pude percorrer o vazio da minha alma e percebi-me uma criatura horrenda. Não sabia dimensionar o tamanho do amor que ela tem por mim. Estou mais inseguro, mais covarde. E saber que ela está procurando se interessar por outros "caras" está me enlouquecendo. Mas lendo seu depoimento pude perceber que ela sofre por minha causa. E realmente, ela está se afastando aos poucos de mim. Não responde aos meus telefonemas, não me procura mais. Nos relacionamos profissionalmente e ela está me tratando de forma educada e gentil, mas só.
Eu queria dizer que essa mulher é maravilhosa e que me perdoe por tudo: maus-tratos, ira e traições. Nunca briguei ou me afastei achando que ela estaria sempre me esperando. Afasto-me pq tenho medo de amá-la e desejá-la mais do que tudo. Meu ciúme é doentio. Eu sou um homem doente. Por favor, me perdoe por não saber me colocar no seu lugar, por ser absolutamente egoísta. Mas, saiba, que não faço por mal. Eu sou isso. ( Fred)

Reflexões Borderline disse...

Fred,

Você é isso, mas você não é obrigado a continuar agindo assim.
É exatamente por isso que não devemos ficar sem nos tratar.

Me diga, o que acontece se um diabético fica sem tratamento?
Se continua exagerando no açúcar e não toma o medicamento?

O mesmo acontece com qualquer problema de saúde.
De qualquer natureza, seja emocional, mental ou físico.

Se há recursos, por que não utilizá-los?
Se temos a chance de amenizar os sintomas e abrirmos outras portas que podem nos ajudar a sobreviver para então depois nos ensinar a viver, por que não fazê-lo?

Não é vergonha buscar ajuda.
Vergonha é nos reduzirmos a nada.

Pense nisso.

Anônimo disse...

Eu agradeço muito a sua compreensão e atenção. Mas, para mim, é muito difícil, não consigo, sei lá. Quero e não quero. Tenho consciência e não tenho. Sou tão confuso, mas prometo que vou tentar encarar a mim mesmo. Sei que vc está certa, mas é tão difícil encarar de frente tudo isso!!! Estou perdendo essa mulher e não estou aceitando isso. Estou sofrendo muito, muito. Mas gostaria que soubessem que não faço ela sofrer por maldade, de propósito, faz parte da minha doença. Eu sou e não sou esse monstro. Vou me esforçar para conseguir buscar ajuda profissional. Valeu, Wally !!! Por tudo e principalmente pelo carinho e atenção que vc está tendo comigo e com a minha "cuidadora apaixonada". Fred

Reflexões Borderline disse...

Consegue sim, Fred.
É só ir semeando o pensamento.
Pensando na colheita, no bom resultado que você terá.
Faça um esforço por você mesmo.
Faça um esforço para ser feliz.
Você merece.
Todos nós merecemos.

Você não precisa contar pra ninguém.
Estará protegido pelo sigilo profissional.

Basta dar o primeiro passo e aos poucos as coisas irão se encaixando.
Pense nisso diariamente.
Queira o seu bem!!

Abraços

Anônimo disse...

concordo inteiramente com a wally.
não consegue na primeira, na segunda, mas na terceira ...
como andar de bicicleta ... tem que tentar ... não se consegue sair pedalando perfeitamente no início ... é preciso insistir, treinar ... assim com tudo na vida ...
temos que tentar ...
o esforço compensa a liberdade e o vento no rosto!
beijos
maria roberta

Anônimo disse...

Obrigado pela força!!! Agora estou entendendo pq ela se sentiu mais forte depois que partilhou esse nosso segredo...
Também estou me sentindo assim, acolhido. Embora esteja me sentindo vazio e muito triste, misturado a uma raiva e ciúme.
Vou me cuidar, procurar ajuda, embora tudo que vejo é um nada, um tédio na minha frente.
Quem sabe, não posso ficar um "cara" legal e ela um dia me aceitar de volta e eu não causar tanto sofrimento...estou tão só!
nada está bem
Fred

Reflexões Borderline disse...

Assim é que se fala, Fred!! :)
Mas veja, você se sente só, porém não está só.
Já viu quantos borders estão travando essa mesma luta?
Luta contra o vazio, contra a dor insuportável de ser quem somos etc?
Não se esqueça disso.
E lembre-se que aqui você sempre encontrará quem o entende.
Mas isso não basta.
Além desse apoio que temos aqui, é preciso o apoio de um profissional.
Não desista!!!

Anônimo disse...

Faço deste comentário do Fred, o meu.
"Eu agradeço muito a sua compreensão e atenção. Mas, para mim, é muito difícil, não consigo, sei lá. Quero e não quero. Tenho consciência e não tenho. Sou tão confuso, mas prometo que vou tentar encarar a mim mesmo. Sei que vc está certa, mas é tão difícil encarar de frente tudo isso!!! Estou perdendo essa mulher e não estou aceitando isso. Estou sofrendo muito, muito. Mas gostaria que soubessem que não faço ela sofrer por maldade, de propósito, faz parte da minha doença. Eu sou e não sou esse monstro. Vou me esforçar para conseguir buscar ajuda profissional. Valeu, Wally !!! Por tudo e principalmente pelo carinho e atenção que vc está tendo comigo e com a minha "cuidadora apaixonada". Fred

Essa confusão é horrível. Simplesmente horrível.

Tay

Anônimo disse...

Nossa esse post está bem emocionante, né Wally?
Adorei essa história..mesmo sendo tudo complicado tb não deixa de ser romântico, isso é bem borderline, mesmo!
Fico feliz pela cuidadora apaixonada pq parece que ela já fez a escolha dela e por outro lado o Fred está tendo a oportunidade de se conhecer e se cuidar, se tratar. Essa história me levou às lágrimas, pq já fui uma cuidadora um dia tb, porém assim que eu vi o barco balançar eu o abandonei e escolhi viver sem ele. Mas vendo o depoimento do Fred, pensei muito no meu ex. Ele tb ficou triste, desesperado e eu não fui madura e humana como essa cuidadora. È Fred, ela é realmente uma mulher sensacional. Mas vc tb pode se tornar uma pessoa especial, bola para frente e coragem. Boa sorte.

Reflexões Borderline disse...

Sim, emocionante e romântico demais.
Também fiquei bastante comovida.
E fico aqui, com os dedos cruzados, torcendo para que eles fiquem bem, seja da maneira que for.

Anônimo disse...

Uau que história!!!!
Mostrei para a minha amiga q tb tem TPB e ela chorou muito.
Wally as coisas poderiam ser diferente se os dois fizessem terapia e tomassem medicação. A cuidadora faz terapia, mas se o Fred tb estivesse se tratando, será q eles poderiam se entender? Fiquei com essa dúvida.
Já fiquei com um cuidador e na época já tomava medicação. Só que ele não segurou a onda. Foi muito difícil para mim. Acho que essa história mexeu comigo por isso. Sinto-me como o Fred.
Na época, sofri muito com o abandono, ele me achou louca demais. Pq ficar comigo com tantas mulheres por aí? A minha psicóloga me orientou que isso ocorre com todas as pessoas, fiquei tão desiludida. Estou torcendo por esse casal, sabe Wally para q eles vivam o q eu não pude viver,
bjo

Anônimo disse...

Ah, Fred estou torcendo por vc!!!
Sabe, Wally, embora seja uma cuidadora de um border que se trata não é nada fácil namorar com ele. Mas todos os namoros são difícieis. Minha família é contra, não me apoia. Mas ele é tão especial para mim. EStamos juntos há 02 meses e estou enfrentando muito preconceito. Mas essa cuidadora parece ser mais corajosa e doce d que eu. Pq não pe mole namorar um border sem medicação, né?
Ela já está nisso desde 2008, é muito tempo sofrendo e lutando para esquecer esse amor.
Olha Fred, não sei se vcs vão ficar juntos, mas essa cuidadora te amou muito, estava sempre te esperando de braços abertos, apesar de tudo!
Muitos nunca viveram uma paixão dessa, poxa, eu que sou muito romântica, digo, já valeu viver por uma história como a sua. VC deve ser um cara muito especial.
Força e coragem. Cuidadora: segue o seu coração, mas no fundo queria q vcs reatassem.

Anônimo disse...

Achei bem maneira essa história...vou ficar torcendo por um final feliz!!!
Olha aí, nós borders somos românticos também e sofremos por amor.
Melissa

Anônimo disse...

Adorei essa história...muito fofa!!!
Como border torço pelo Fred, para que ele consiga se cuidar, se tratar. Esse é o aspecto mais difícil. A cuidadora desse post realmente deve amá-lo muito. Mas as vezes é hora de dar um tempo para que sa cosas tenham um certo movimento. Fred, faça um tratamento medicamentoso e terapeutico que tudo irá melhorar.
Um beijo,
Sarah

Wally disse...

Sarah, achei seu comentário super sensato!!!
Logo se vê que você é uma border consciente.

Seja muito bem vinda ao blog!
Assim como todos os demais ;)
E beijos a todos!!!

Anônimo disse...

Wally, gosto muito do seu blo. Adoro seus comentários sempre tão participativos e humanos. Tenho 40 anos e os meus sintomas estão diminuindo. Estou sob tratamento e procuro desenvolver sensatez na minha vida. Obrigada pelo elogio, prova que estou me direcionando no caminho certo.
Um grande beijo,
Sarah

Anônimo disse...

Também considero que essa história mexeu comigo, de forma muito intensa. Mas, como sou border me identifiquei com o Fred. Eu não tive uma cuidadora tão apaixonada e especial como ele. Há um tempo atrás, eu namorei um cara lindo, não border, mas judiei tanto dele que não me aguentou e fugiu correndo de mim.
É...quem sabe um dia eu tenho essa sorte de conhecer um cuidador apaixonado...
Sandra

Anônimo disse...

Essa história me encantou. Emocionei-me profundamente. Eu já tive um cuidador, mas infelizmente ele não era apaixonado por mim.
Espero que um dia eu tenha a sorte de encontrar um assim para mim também. Alguém que seja apaixonado, querido, fiel. Amigo.
Liz

Esperança disse...

Olá Cuidadora Apaixonada,
A sua história de amor é como a minha. Há 6 anos conheci o homem que me fez viver um amor maravilhoso, porém assustador desde o início. Era tanto amor dele por mim, que me apaixonei em pouco tempo. Hoje estou só, apesar de nos mantermos ligados emcionalmente, depois de tantos rompimentos. Hoje eu me pergunto tudo o que está escrito neste blog e encontro conforto para minha tristeza e dor. Ele vem e eu me alegro, mas não me permito me iludir. Ele vem quando quer, eu o aceito. Hoje, sexta feira, onde ele estará, com quem estará, porque não mereço sua companhia quando preciso dela e sinto saudades?? Tentei me fortalecer inúmeras vezes e fraquejei, meu mundo não é mais o mesmo desde sua entrada na minha vida. HOje estou isolada de tudo, porque não consigo compartilhar, nem mesmo com a pessoa mais próxima, tudo o que vivo. Estou me tratando, a depressâo é grande, devido a tamamha decepção de estar diante de tanta ingratidão, após uma vampirização sem fim. Ofensas, brigas intermináveis, vergonha pública, traições e mentiras e não me conforme em não ter conseguido fazê-lo acreditar na minha dedicação e amor. Sou esperança porque quero acreditar numa nova chance, quero acreditar que posso acalmá-lo e que irei suportar suas agressões. Estou com medo, minha vida está parada e a dele andando, como pode??
Será que para um border o amor nunca valerá à pena, penso que o medo de enfrentar suas dores, os tornam as pessoas mais egoístas do mundo!
Tudo que mais quero é a chance de viver todo meu amor e ser amada por ele. Ele diz sim que me ama, mas a palavra é uma e a atitude outra. tenho medo de acreditar e continuar sofrendo, mas vivo das minhas lembranças e desejos pelo futuro com ele me amando e voltando para mim!
Com amor à todos que como eu sabem o que é estar partida ao meio e sózinha.
ESPERANÇA.

Anônimo disse...

Eu amei essa história de amor, amei...

Anônimo disse...

Querida Esperança, ao ler o seu comentário me sensibilizei muito. Sei o que você está sentindo porque vivo intensamente esse sentimento. Mas te aconselho: você deve parar. Sim, assim como eu "parei" com o meu Fred. Foi uma decisão muito difícil. Porque eu o amo muito. E como li em outro post, eu amo a luz e a sombra dele. Amo cada pedacinho dele. O DNA dele está na minha pele. Minha história é emocionante e romântica porque é real e eu não o abandonei. Fico feliz por todos estarem torcendo por nós. O Fred postou uma declaração de amor para mim e conscientizou-se de sua condição de borderline e eu da minha condição de co-dependente. Há muito que eu alimentava a nossa doença. Porque, querida, eu também contribuía para alimentar, dando força, passando a mão na cabeça dele e vivendo apenas o papel de vítima.
A Wally ao postar meu comentário , mudou a minha vida e a do Fred. Me senti tão confortada e muito emocionada pelo carinho e repercussão que senti por aqui. Mas foi preciso eu sair do papel de vítima e isso levou muito tempo e muitas sessões de terapia. Se você sofre por alguém, pense bem, ele não te faz feliz. O primeiro passo para a cura é admitir que tem o problema, depois buscar tratamento e se comprometer de corpo e alma com ele. Confiar na terapeuta e tomar medicação corretamente.
Eu já estou em terapia há vários anos, e quando a Wally postou meu comentário foi o insight que fez toda a diferença. Você, Wally, foi uma luz que orientou a mim e ao Fred. Estamos nos aproximando a medida que ele está se tratando e parece bem comprometido com essa causa. Ambos estamos bem.
Esperança, preste atenção: Cuide-se, afaste-se dele. Procure um psicólogo para caminhar ao seu lado nesse momento e assim, você poderá avaliar se seus sentimentos são reais ou só a ilusão de um amor idealizado. E ele, necessariamente tem que estar submetido a tratamento, caso contrário a vida dele vai seguir sim, e você, minha amiga vai ficar parada, como imagino que você esteja se sentindo. No entanto, você ao postar seu comentário pode ter mudado a sua vida, assim como eu mudei a minha. Coragem!!!
Não viva por ele, mas por você mesma. Nesse momento não importa onde ele está ou com quem. Nesse momento é apenas você.
E olha, ele volta. Ah, volta. Para depois te abandonar de novo, é só um impulso. Você é mais do que um impulso merece alguém que a ame de verdade. E borders amam, sim! São confusos, difícieis de entender, mas se estão se tratando o amor flui. Estou vendo isso no Fred. Já sofri tanto, tanto por ele...
O nome dessa "cuidadora apaixonada" é Luciana A.
E estamos bem e felizes.
Nem toda a história border tem final infeliz. A nossa está sendo escrita agora, em uma nova página da vida. Não mais com lágrimas de sangue, mas com emoção, trabalho, luta e companheirismo.
Aproveito a oportunidade para agradecer a todos que postaram e torceram por nós e em especial a Maria Roberta pelo carinho com o Fred.
E a você Wally a minha eterna gratidão. Você me ajudou a ser uma pessoa muito mais feliz.
Deus te abençõe e encha a tua vida de luz.
Essa luz repercutiu na minha vida e na vida do Fred.
Um beijo a todos vocês e em especial a Wally.
Ao Fred, eu o perdou por todo o sofrimento. A você que é a paixão da minha vida, eu te desejo toda a felicidade e paz do mundo. Parabéns porque você foi corajoso ao postar aqui a sua dor. Parabéns porque ouviu a Wally e está se tratando sem medo e sem vergonha. Eu amo esse novo homem e estarei de abraços abertos, aqui e sempre. Eu te amo.
Luciana A. ( "cuidadora apaixonada")

Anônimo disse...

Estou em lágrimas com essa história de amor verdeira. Ah, Waaly encheu minha vida de esperança, parece coisa de novela.
bjo

Anônimo disse...

Estou muito feliz por vocês dois, muito mesmo. Adoro finais felizes. Como border quero um cuidador tão apaixonado como você, Luciana A.
Parabéns ao Fred pela coragem de procurar um tratamento. Boa sorte para os dois!
Wally, maravilhoso o seu trabalho!!!
bjos,
Sandra

Anônimo disse...

Eu realmente estou muito feliz por vocês dois. O depoimento da "cuidadora apaixonada" é um dos mais belos e emocionantes que já li!!! Incrível, mesmo!!!
Parabéns a Wally pelo trabalho aqui realizado. A orientação, o espaço, a condução dos fatos e o feedback da Luciana A. e Fred. É emocionante porque é real e teve um final feliz. Ambos estão se tratando e estão conscientes da condição e do papel que desempenham na vida. Tudo isso é muito lindo e lágrimas estão deslizando pela minha face. Lindo, demais!!!
Carinhosamente,
Sarah

Anônimo disse...

Lindo demais!!!!
Romântico demais!!!
Estou muito emocionada...sou border e quero viver uma história de amor assim também.
Vou voltar de novo para a terapia. Já me decidi.
Melissa

Esperança disse...

Para Luciana A.,

Era para vc mesmo que eu queria comunicar ao postar meu comentário. Vc está sendo uma querida e amorosa pessoa em me responder. Imagino o que passou e fico feliz pela sua conquista! Quem sabe eu tb tenha a mesma coragem que vc. Como vc disse: "ele volta"! Ele voltou hoje de manhã, ao me enviar uma mensagem dizendo que estava perto de minha casa e se eu queria passear. Eu abandonei meus planos para sábado de manhã e me atirei à ele. Claro que eu não estava bem e me senti usada ( quando ele quer procura, quando não precisa não procura) tentei conversar amorosamente sobre meus sentimentos, mas foi infrutífero. Ele ouvia e logo concluia que eu era o problema...passamos o dia juntos, sem ele ser tão claro do qunato queria estar comigo e eu sem explicitar meu medo de tudo ser apenas uma atuação dele e não me alimemtando do que eu preciso. è incrível como ele faz coisas bem piores do que eu (mentir, ter amizades íntimas com amigas...) e eu é quem fica na mira do erro. Cheguei em casa ás 18 hs, depois do passei, saí para ir à farmácia (comprar meu anti depressivo, irônico!) e ele mandou um torpedo dizendo que ainda estava perto de minha casa,meu celular ficou sem sinal (coisas que não acontecem com qualquer um) e ele disse; " vc acha que está disponível mas não está, deve ter algo no seu incinsciente que vc precisa ver, porque fala uma coisa e faz outra. Ouvi isto estarrecida quando conseguimos conversar após ter ficado sem sinal no celular. Como eu faço para lidar com tanta racionalidade? Ele fala e consegue ter uma retórica perfeita. Quem o ouve acha que ele e está mesmo coberto de razão!..enfim, não quero me estender aqui, mas passei horas com ele e não sai alimentada do afeto e dedicação que ele fala que tem por mim e ainda ouvi que não sou disponível coo falo! Bem, vctem razão, mas acgho quase impossível eleaceitar o diagnóstico de border..no início do namoro, quando seu humor era raivoso e sua necessidade de fusão comigo era absurda, eu o levei ao psiquiatra e ele recebeu o diagnóstico de bipolar. Tomou remédios pesados e fala até hoje que fez aquilo por mim, pois os remédios o faziam dormir! Encontrei terapeuta e depois de 3 anos descobri que ele mentia para mim, dizendo que ia, mas havia frequentado as sessões por menos de 2 meses,,,enfim, hoje sabemos que ele tem algo, mas parece que sua resist~encia ao tratamento aumentou. TOmara ele seja como o Fred e julgue que o amor que temos precisa de ajuda, mas não vejo essa perspectiva. Tenho vontade de mostrar este blog para ele, mas temo sua contrariedade!
Obrigada pelas palavras de apoio. Eu sou Chris, 47 anos e não queria mais sofrer. SOmos amáveis e carinhosas com eles, mas sempre tenho que ouvir que errei, que não foi legal o que eu fiz, e ele diz: eu te perdoo, como se eu tivesse que ser perdoada por ser como sou. SE um dia eu pudesse te contar minha estória toda, talvez fossemos rir ao pensar que não estamos sós, mas na hora do sufoco, eu me sinto a última pessoa do universo.
Grande abraço, com carinho
ESperança (Chris)

Anônimo disse...

Esse posto é o meu preferido, tão emocionante.

Esperança disse...

Como faço ara comprar os livros da Helena Polak? No site do clube dos autores eu não consegui efetuar o pagamento. Escrevi para a autora, mas ela não respondeu. Podem me dar uma dica?
Obrigada,
Bjs
Esperança

Esperança disse...

Teríamos que formar um grupo dos apaixonados por borders...e trocar dicas e experiêcias. Eles são maravilhosamente apaixonantes e inteligentes e sedutores, que chegam a dar medo.rsrsrs Como disse a Luciana A., o DNA do meu border está na minha alma! Mas ele me rejeita por qualquer porcaria que não sai como ele quer.... bjs

Anônimo disse...

Querida Cris (Esperança):
Obrigada pelas palavras carinhosas, de verdade.
Mas a melhor pessoa para te aconselhar é a Wally.
Enquanto isso, eu só posso lhe dizer para ser forte. O fato de eu lhe dizer que ele iria voltar é que já vivenciei isso, muitas vezes e eu afirmo, com absoluta convicção: é o mesmo padrão.
Não sei quanto ao sentimento verdadeiro dele em relação a você. Pode até ser que ele te ame de verdade, mas se você se sentiu usada porque continuar com isso?
Se você toma medicação é necessário uma ajuda psicológica porque você assim como eu é co-dependente dessa relação. Você precisa descobrir se realmente você ama esse homem ou a falsa imagem daquele "princípe encantado" quando ele está maravilhado por você? Como diria a minha psicóloga, talvez você esteja apaixonada pela imagem do homem que você criou e ele só fisgou esse personagem como um gancho, pense nisso.
Momentos para serem bons precisam trazer felicidade, equilíbrio. Não essa montanha-russa e olha que eu já fui viciada nessas emoções, precisava ardentemente delas. Mas quando ela acaba, você fica assim: sozinha, culpada e solitária. Da mesma forma como estamos de dieta e assaltamos a geladeira, escondida, na calada da noite e nosso regime vai para o espaço.
Se ele for bipolar ( já fui casada com um por 10 anos), ele não tem o sentimento de vazio e tédio, nem o medo do abandono, fragilidade e instabilidade emocional e raiva, muita raiva e ciúme. O bipolar muda de humor constantemente, porém consegue ter relações afetivas mais estáveis, casam, tem filhos. Mas são extremamente passionais e agressivos. Eu não aguentei ficar com ele e me separei.
Mas com esse borderline, o meu Fred, é totalmente diferente. Mas para isso é necessário que ele se trate. Meu ex-marido recusou-se e me culpava o tempo todo, era uma relação terrível com muitas traições. Hoje somos muito amigos, aprendi a lidar com ele e aceitá-lo como ele é.
Mas não vivo mais com ele. Independente do distúrbio, no meu sentir, quem precisa de ajuda é você, minha querida.
Cuide-se que ficarei, aqui torcendo por você.
Sei exatamente como está se sentindo e como dói. Mas assim como eu superei, você também conseguirá.
Beijos,
Luciana A.

Anônimo disse...

Lindíssima essa história de amor e paixão com final feliz, né Wally? Pura emoção, como um amor de border: intenso, extremista, mas real.
Nós, borders podemos amar SIM e como.
Parabéns ao casal!!!
Beijos,
Liz

Anônimo disse...

Wally, amei esse post e todo o desenvolvimento após a postagem seguido dos comentários, realmente é bárbaro!
O mais emocionante é que os personagens dessa história real, despiram-se num ato absolutamente corajoso. Como sou border e sou consciente, fiquei muito feliz pelo casal. Imagino, para você, Wally. Deve justificar todo esse trabalho dedicado. Parabéns, estou aplaudindo de pé.
Um grande beijo,
L.

Anônimo disse...

Wally, quero te parabenizar pelo seu blog, mais uma vez. Essa história só reflete o que eu já havia comentado anteriormente em outro post. Eu a considero um ser realmente iluminado. A vida é cheia de mistério e os caminhos divinos são insondáveis, mesmo. A "cuidadora apaixonada" fez um comentário a você que com a sua alta sensibilidade o postou e ainda lhe deu apoio, colo e senso de direção. É verdade que ela faz terapia e aparenta bastante maturidade e consciência e concordo com ela que o blog e a repercussão serviram de "insight" e tudo fez sentido. O mais maravilhoso foi a busca de ajuda do Fred. Tudo isso só serviu de lição de força e coragem na minha própria vida. Parabéns ao casal e especialmente a você, querida Wally, por tudo.
Ao meu "arcanjo" protetor,
desejo-lhe muitas bençãos,
sua admiradora
Luciana

Anônimo disse...

Maravilhoso, incrível!!!! Nossa Wally, pura emoção, não é?
O post, a narrativa dos personagens "curadora apaixonada" e do "Fred", como confiaram em você e buscaram ajuda e estão conseguindo transformar a vida deles e absolutamente conscientes das dificuldades e desafios que terão daqui para frente. Tenho certeza que ambos serão muito felizes. Quando encaramos com coragem e atitude, mesmo estando amendontrados por dentro e encaramos a nossa sombra de frente, podemos observar que o monstro não era tão feio assim.
Ao Fred, gostaria de dizer-lhe que estou felicíssima por vc, parabéns por aceitar o tratamento, não desista. Quanto a cuidadora, vc é uma pessoa maravilhosa.
Wally, vc é o máximo.
beijos,
Van

Anônimo disse...

Pessoal estou absolutamente encantada com esse post e o "grand finale" dessa emocionante história de amor. Lindo demais!!!
Elys

Wally disse...

Puxa!!! Só agora vim ler os demais comentários (estou fazendo uma tradução e meu tempo livre diminuiu esses dias)e estou emocionadíssima com o desenrolar da história!!!

Desde que o Fred postou o primeiro comentário eu cruzei os dedos para que ele procurasse tratamento. E fiquei na torcida juntamente com tantas outras pessoas.

Essa história serve e servirá de exemplo a muitos!!! E com certeza vai abrir muitos caminhos.

Ainda há muitos comentários que preciso republicar. Mais e mais vejo a importância de divulgar o que vocês tem compartilhado aqui.

Estou tão feliz que não consigo ordenar as palavras para expressar tudo o que estou sentindo...

Obrigada a todos pelo carinho e por dividir seus sentimentos aqui no blog.
Vocês todos são tão especiais para mim.

Abraço enorme!!!

Wally disse...

Esperança,
A Luciana foi muito sábia no comentário. E acredito que a sugestão dela pra que você procure uma psicóloga é excelente.

Sobre os livros da Helena Polak, eles só estão disponíveis no site Clube dos Autores.

Você escreveu para o email dela mesmo? (helenapolak@terra.com.br)

Espero que consiga obter os livros. São excelentes! Recomendo a todos os borders e cuidadores.

abraços

Wally disse...

Esperança,

Esqueci de comentar que vou publicar seu comentário ainda essa semana, OK?

Bjos

Wally disse...

Melissa,
Fiquei feliz demais em saber que você optou por voltar a terapia!!
Assim é que se fala!!! =)

Puxa!Estão vendo como a união faz a força?!?!

Wally disse...

L.
Você tem razão. Eu vibrei com cada palavra!!
O progresso de cada border me deixa muito feliz!!!

Esperança disse...

Obrigada Wally pela atenção, mas ainda tenho tanto receio de tudo. Primeiro, tenho medo da reação dele se eu falar que ele pode ter este transtorno, acho que ele ficará muito bravo e ressentido comigo. Já não falo sobre transtornos com ele há muito tempo. Se eu conseguir falar sobre isso seria um ponto de partida para nós dois. Sei que ele tem consciência de como é, mas não o vejo tendo consciência de quando entra na crise. Passa e de repente poderá acontecer novamente e o fato é de que eu sempre faço algo que dispara o gatilho! Sei que ele está fazendo análise, mas nãofala sobre isso, até chego a desconfiar se ainda está em análise mesmo. Ele é inteligente e esclarecido e percebo que gosta de conduzir todo o tratamento que já iniciou. Acaba que ão vejo mudanças significativas, a não ser que atualmente ele já não é mais um tão adesivo comigo, ou pelo menos se mostra mais independente afetivamente.
Bem, vou espperar a hora certa para falar sobre isto!
Obrigada pelo apoio.
Quanto aos livros, eu ainda não obtive resposta da autora.
Beijão com carinho
Esperança

Wally disse...

Luciana,
Muito obrigada por sua grande manifestação de carinho.
Suas palavras significam MUITO para mim.

Um super beijo e abraço.

Anônimo disse...

Wally, você é a grande merecedora disso tudo que está acontecendo na vida de todos nós. Já imaginou a quantidade de Graças Divina na sua vida? Cada ser humano iluminado é uma chama de luz para a sua vida. E você já tem um caminho iluminado. Um pedido: seja cada vez mais iluminada para que nós outros possamos caminhar amparados pela sua Luz.
Um beijo,
Luciana

Anônimo disse...

Belíssimo. Estou encantada!!!
Uma história de amor inesquecível.
Lucia

Anônimo disse...

Sou border e acabei de romper do nada com o meu namorado. Simplesmente não sei o motivo e estamos juntos há dois anos. Lendo esse post e essa história tão linda, acabei de mandar uma mensagem pedindo perdão e pela primeira vez abri o meu coração, assim como o Fred fez. Nossa Fred você é demais. Também estou me sentindo um monstro, mas vendo você dois tive a esperança que as coisas podem mudar: se eu disser a verdade: estou te abandonando, pq eu te amo demais e não quero ser abandonada pq eu não te mereço?
Valeu Wally, pela ajuda.
Lia

Anônimo disse...

Adorei essa história tb!!!
Serviu de inspiração na minha vida solitária de border.
Jonas

Anônimo disse...

galera, adoreeeiii...
Lindo demais, vibrei com os comentários da cuidadora e do Fred. impressionante!!!
Wally, seu blog é demais!!! Parabéns!!!
Alto nível, difícil de se ver.
parabéns!11
Sissi

Wally disse...

Ai gente, estou tão feliz... mas tão feliz mesmo.
Obrigada a todos que estão participando.
Obrigada pela demonstração de carinho.
Amo vocês!!!

Anônimo disse...

Eu também me espelhei nessa história de amor....Sou border e acabei de romper o meu namoro ( pela oitava vez), sai correndo para procurar ele e abri meu coração: estou morrendo de ciúme de vc e vc ét ão perfeito que não vai me querer mais...Sabe que aconteceu? Ele sorriu e me beijou muito. Fizemos as pazes, quem sabe agora eu possa ser feliz, tb?
Valeu Wally,
Nadia

Anônimo disse...

Linda história de amor e superação.
Giovanna

Anônimo disse...

Comovente, de tirar o fôlego !!!!
Beatriz

Anônimo disse...

Também concordo com todos vcs, a história é sensacional....
Caio

Wally disse...

Nadia,
Que alegria ao ler seu comentário!!!
Incrível o que essa história de amor não está fazendo. Está mudando a vida de muitos borders!!!
Parabéns por sua determinação!

Um beijo!!!!

Anônimo disse...

Eu te agradeço muito pela ajuda, Wally. Essa história deu uma reviravolta na minha vida, pq é tão verdadeira, tão intensa que ao ler todos os comentários desde o início, eu vi que é possível a gente abrir o nosso coração pra quem se ama. Comigo, o meu namorado ficou tão surpreso! Ele achava qu eu não tava nem aí...Pode?
bjos,
Nadia

Anônimo disse...

Querida Nadia,
Fiquei muito feliz por você ter procurado o seu namorado e que a nossa história tenha servido de "inspiração". Eu também não tinha nem idéia da intensidade do medo que o Fred tinha em relação aos seus próprios sentimentos e inseguranças. E o maior medo dele era justamente porque me amava muito e de eu rejeitá-lo.
Tenho certeza que a partir de agora você está mais segura no seu relacionamento e vai poder ser mais feliz. Boa sorte e felicidade!!!
Luciana A. ("cuidadora apaixonada")

Anônimo disse...

Belíssima história, muito comovente. Aquelas histórias que mexem com a gente...
Parabéns Wally,
Silvia

Anônimo disse...

Eu estou muito emocionada com essa história de amor. Eu tb já vivi uma história um dia...Pena que não encontrei um cuidador que me amasse tanto e para valer. Bem, tenho 30 anos, quem sabe eu ainda não o encontro?
De toda a forma, fiquei muito esperançosa porque os borders tb podem ser felizes em seus relacionamentos, desde que haja respeito e amor mútuo.
Rajer

Anônimo disse...

Eu tb quero uma amor assim na minha vida...
Estou muito feliz pelo casal.
Ana

Anônimo disse...

Maravilhoooooosoooo....Amei!!!!
Fica de inspiração. Eu como border fico muito feliz por eles.
bjo,
Joanna

Anônimo disse...

Estou muito feliz por vc, curadora apaixonada, mas eu que acabei sendo uma sem querer, estou sofrendo tanto, tanto. Queria que a minha história tb tivesse dado certo. Mas a vida á ssim. Felicidades!!!
Jen

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Eu amei essa história de amor e superação. Entrar em contato com o nosso distúrbio é muito importante: devemos nos conhecer, saber as nossas reais condições - medos- incertezas -instabilidade - confusão - tédio e vazio.
Tomar a medicação prescrita e se submeter regularmente à terapia.
E possuir dentro de si mesmo: força de vontade e determinação. Garra e vontade de vencer!!!
Esses foram os ingredientes que tornaram possível a realização dessa história de amor.
Um brinde ao casal: Fred e Luciana A.!!!
Um brinde a idealizadora desse grande trabalho e Projeto: Wally !!!
Abraços afetuosos a todos,
Alinne

Anônimo disse...

maravilhosas historias...comoventes..tb amo um homem que ao meu ver é bipolar...sofri muito..um dia me amava..um dia me odiava....umdia estava super feliz, entusiasmado....outro dia era simplesmente um feto na barriga da mae..fazia tratamento medicamentoso de domingo a quinta..depois o alcool fazia o tratamento..tenho uma criança pequena..gosto de tomar uma cervejinha..mas para acompanha-lo nao dava..eu acordava cedo..ele dormiu ate as 14hs..o casamento doi saindo do eixo..pq eu deveria acompanha-lo em tudo e como dormia ele saia..e ai vieram as traições,desculpe o termo, as idas no puteiro...e depois no outro dia..eu era amulher que ele mais amava...deixei minha casa, minha vida conjugal,em duas semanas por orgulho proprio, nao porque nao o amava...o amo ate hj..mas como fazer alguem com prolblemas se tratar ?s e ele nao se ama como vai me amar?fica o questionamento...obrigada porter esse blog pra desabafar..ha anos tenho isso comigo...ele ja tentou voltar varias vezes..mas a vergonha de assumir aquilo que me fez sofrer tanto nao me deixa voltar a tras e tentar de novo

Wally disse...

Alinne, você citou a chave para o sucesso de qualquer border:

-Tomar a medicação prescrita e se submeter regularmente à terapia.
E possuir dentro de si mesmo: força de vontade e determinação.

Sem isso fica muito difícil levar uma vida normal...

Vou programar seu comentário para se auto-publicar semana que vem!! É importante enfatizar a necessidade do tratamento.

Bjos

Wally disse...

Anônima, é impossível obrigar alguém a se tratar.
A não ser que essa pessoa seja internada a força!
O que nem é aceito pela maioria dos hospitais psiquiátricos dependendo do diagnóstico.

Muitos cuidadores – especialmente aqueles que escolheram seu relacionamento com o border – vivem tentando consertar as coisas para outras pessoas e salva-las.

Isso lhes dá a ilusão de que podem mudar alguém.

Mas isso é apenas uma fantasia que transfere a responsabilidade da única pessoa que tem o poder de mudar a vida do borderline – o próprio borderline.

Você pode passar 24 horas por dia sofrendo pelo seu borderline.(ou bipolar) Você pode colocar sua vida em espera, esperando por ele para retornar ao seu modo de pensar. Você pode deixar toda sua vida emocional ser ditada pelo seu humor do momento. Mas nada disso irá ajudar a pessoa com TPB .

Portanto, não se sinta culpada por aquilo que não é responsabilidade sua.

Bjos

Anônimo disse...

Nossa WALLY, vc foi perfeita em seu comentário. Eu sou cuidadora de um borderline que se recusa a fazer tratamento e essas palavras me deram um insight que fizeram toda a diferença pq vc é border e entende de border. Sou angustiada por natureza e um pouco paranóide, mas faço terapia regularmente. Sou apaixonada por um border "encrenca" e a minha vida gira em função dele. Rompi com esse meu rolo faz três dias. E fiz de tudo para que ele procurasse um tratamento e nada. Foi muito difícil, deixá-lo, pq cuido realmente dele. Mas não quero ser mais babá, nem ser tratada como um objeto descartável. Então vc disse tudo e essas palavras foram para o meu coração.
Estou sempre no seu blog e me tornei "doutora" em TPB. Mas, infelizmente, eu parei aqui.
Gostaria muito de agradecer pelo seu trabalho, pq é meu companheiro há muito tempo. Todos os dias eu mergulhava por aqui, enriquecendo a minha vida.
Essa história é belíssima, mas a vida é assim. Com certeza deve haver alguém especial que estará esperando por mim.
Eu pude aprender que o meu namorado Frederico, não é um cara mau, é apenas sintoma do seu ego fragilizado. E todas as traições, maus-tratos, instabilidade, rompimentos, contradições, perdas de memória e até impotência foram decorrentes do medo e do abandono. Assisti a muitas crises e fiquei sempre ao lado dele, muito sensibilizada.
Vc, Wally, é uma pessoa maravilhosa de uma generosidade que nunca vi antes. Eu amo as suas palavras de afeto e consolo e muitas vezes, sem nem me conhecer e saber da minha existência me carregou no seu colo e afagou meus cabelos e enxugou minhas lágrimas.
Muito obrigada por tudo.
Obrigada por existir.
grata,
Martha

Anônimo disse...

Wally, amei de todo o coração esta história de amor.
Estou muito comovida pq como border, me dá uma visão inusitada da vida.
bjos,
Maria Cândida

Wally disse...

Martha, eu ri muito quando você disse que se tornou doutora em TPB de tanto ler o blog rsrsrs

Mas brincadeiras à parte, fico realmente feliz em saber que o blog está ajudando.
Muito obrigada pelo carinho.

Um trecho do meu comentário vem de um outro post do blog (Mudando a Vida do Borderline). Eis o link caso queira lê-lo na íntegra:

http://vidadeumaborderline.blogspot.com/2011/03/mudando-vida-do-borderline.html

E o outro trecho eu complementei na hora, mesmo.
Seu comentário merece ser destacado para ajudar outros cuidadores que podem estar sofrendo, portanto vou publicá-lo em um post dentro das próximas semanas, OK?

beijos e apareça!!!

Wally disse...

Maria Cândida, essa história está encantando e semeando a esperança no coração de tanta gente.

bjos

Anônimo disse...

Eu também sou uma cuidadora, mas não sou como a Luciana A. e nem tenho uma namorado como o Fred e a minha história é muito triste: apenas maus-tratos e lágrimas...Não estou suportando e não estou aguentando essa situação desoladora...e ninguém entende como posso ficar com esse homem border que se recusa a se tratar e que só me maltrata.
Estou tão infeliz...sou co-dependente, sim! Mas não consigo parar de pensar nele o tempo todo, é horrível. Estou buscando ajuda psicológica, pq vou acabar fazendo uma grande besteira...não estou suportanto ter tão baixa auto-estima.
Fico emocionada que a Luciana A. conseguiu superar tanta dor e estabilizar nessa relação. Que maravilha que alguns conseguem ser felizes...
Quero tanto sair dessa situação, me ver livre desses pensamentos obsessivos que não param de martelar na minha cabeça, mesmo quando não quero e não desejo, mas eles insistem em martelar na minha cabeça.
Margareth

Anônimo disse...

Eu simplesmente amei. Estou maravilhada!!!
Que bela história. Esse casal é um exemplo a ser seguido.
Bjos
Carolina

Anônimo disse...

Ah eu estou com lágrimas nos olhos e me deu uma vontade de ter alguém bem lindo do meu lado.
Sou border e quero ser feliz tb, parabéns pelo casal 20!
Abraços,
Daniella

Wally disse...

Margareth,
Creio que a Luciana A. só tenha conseguido superar tudo isso porque além de ter buscado ajuda terapêutica ela havia chegado a um ponto do relacionamento onde chegou num acordo com o Fred, lembra-se? Ou ele tratava-se ou eles seriam apenas amigos. Corrijam-me se estou enganada (Lucina ou Fred). Então ele começou a se tratar e a ficar realmente comprometido com o tratamento.
Acredito que é muito difícil se relacionar com um border que se recusa a se tratar. A não ser que o transtorno não esteja num estágio muito aguçado.
Sinto muito que você esteja nesse estado.
Você precisa se cuidar agora.
Espero que já esteja se tratando.

abraços

Anônimo disse...

Olá Wally,
Foi exatamente assim. Eu coloquei nesses termos: Ou vc, Fred vai se tratar com terapeuta e psiquiatra ou cada um vai seguir a sua vida, inclusive eu rompi com ele nessa fase. Foi nesse momento que eu postei esse comentário. E olha, naquele momento, eu não acreditava que o Fred iria buscar tratamento. Aí, ele ficou sabendo que eu havia postado no seu blog a nossa história e ouviu vc e foi procurar tratatamento. E olha, eu tb estou fazendo terapia há muito tempo. Agora, nós dois estamos sob tratamento e tb fazemos terapia de casal.
Um grande beijo,
Luciana A. ( cuidadora apaixonada)

cristina disse...

cristina,
tenho 49 anos e conheci uma pessoa ha 6 anos atras. uma pessoa que logo de inicio apresentava alguns desiquilíbrios emocionais,ora era agressivo, irritante ,mudava de humor com muita facilidade.todo esse tempo conversávamos muito e ele declarava que eu era a parceira ideal.não brigávamos e muito menos discutíamos.algumas vezes acordava e implicava com meu filho adotivo de 12 anos. morávamos em casa separadas apesar de sermos vizinhos.era um parceiro espetacular, amigo e um excelente padastro.ha cerca de 2 meses ele me deu o fora pelo telefone informando que eu gostaria de casar na igreja etc.....,que não e verdade claro.fui sabedora por uma cunhada dele, que ele a encontrou no metro a amante de uns 15 anos atras.ate então achava que ele era bipolar pelas suas atitudes.todas as tentativas de conversa com ele foram totalmente agressivas e com repetição que não voltaria nunca mais para mim e qual era a minha. a ultima tentativa telefônica conversei com ele que informou que a situação não era bem assim que inclusive no domingo repassado ele estava em casa.por varias vezes durante esses anos, tentei conversar sobre bipolar e ele não aceitou, mesmo tendo uma filha bipolar e outra com toque.ha um ano vendeu seu apartamento próprio lindo pelo fato dos moradores não terem dado a importância que ele queria. hoje esta vivendo de aluguel.com 67 anos ele esta detonando tudo de concreto de sua vida ,ou esta querendo viver intensamente.suas 3 filhas não se metem em sua vida para não da permissão que ele se entrometa em suas vidas.filhas bem de vidas formadas que não necessitamos dele para nada.
esta pessoa esta doente e não tem noção o que poderia fazer por ele foi feito , só que ele me vê como inimiga tendo muito ódio de mim ,mostrando esta apaixonado por alguém que nem seus próprios amigos bem chegados conhecem,alega as filhas que terminou porque o relacionamento estava desgastado ,estado eu com ele 15 dias antes do termino no hospital para ele retirar um câncer de pele.
situação complicada não?
beijos

Carla Sibele disse...

Olá Walli. Hoje, depois de mais um dia terrível de convivência com meu marido (que hipoteticamente é um Boderline), mergulhei mais uma vez em pesquisas relacionadas a questão, e principalmente, relacionadas a Advogada suicida de Penápolis-SP, fato que me chamou atenção numa seção na revista Veja. Até então, achava que ele era "distímico", ou seja, sofria de uma depressão crônica, como asma, ou doença de chagas, mas depois que li três paginas na revista Veja dedicadas a esse caso, fiquei e, alerta, e foi como se naquelas paginas eu tivesse uma descrição fiel do comportamento do meu marido. Ele tem um diagnóstico comprometido, uma vez que a minha sogra tem depressão, síndrome do pânico, claustrofobia, esquizofrenia, e devo ter esquecido mais algum dos laudos, mas enfim, impossível não comprometer uma criança com alguma dessas heranças.Com milhares de obsessões, educou o filho em pleno Rio de Janeiro sem nunca poder por os pés numa praia(excesso de cuidado). Ele por sua vez, decidiu ir pra um colégio interno em SP aos 15 anos fazer um curso de enfermagem, concluir o médio e trabalhar, fugindo assim das neuroses da mãe. Conseguiu a liberdade, porém pagou o preço, caro, muito caro. Seguiu com esse oficio até hoje, aos 34 anos.Pouco tem contato com familiares ou amigos. O sentimento é profundo abandono, nenhum namoro engrenou de verdade, talvez alguns meses, e logo estava sozinho novamente. Nesses 18 anos, ele mergulhou em um mundo vazio, de promiscuidade, e se envolveu com orgias e quem sabe mais oque. Pra ele, não existe atitudes comedidas, quer sempre ser sincero,diplomacia lhe parece falsidade, diz que odeia mentiras, é excessivo, exagerado. Odeia a família e os culpa por todas as desgraças da vida dele. É apegado aos animais abandonados, e animais em geral, e parece muitas vezes valorizar e retribuir mais a empatia com os bichos do que com os familiares. Perde o controle facilmente e quando tem alguma razão, exagera nos argumentos e punições. Quando gosta de alguém, não enxerga defeitos, não comede as atenções e elogios, mas quando não gosta, é praticamente incapaz de ver virtude. Ele se auto-agride, não fisicamente, mas a sua imagem, seu potencial, qualidades. É depressiativo e devastador quando em crises. Sempre me parece frio de sentimentos, e muitas vezes cruel e ferino nas palavras. As vezes demasiadamente otimista, quase um alienado, fora da realidade, outras vezes ausente de atitudes mentais positivas. Quando ele gosta de algo que seja de consumo, compra vários, mais do que possa utilizar, ou mesmo que utilize, mas já terá enjoado. Quando chegamos ao extremo das discussões a respeito disso, ele se vitimiza, se culpa, e apresenta desejo de suicídio. Sem enxergar soluções para os dilemas, soluções muitas vezes simples e evidentes. Me culpa de tudo, me agride verbalmente por qualquer crítica e acha que tudo é "esporro". Essa pessoa de quem vos falo, é meu companheiro a mais de quatro anos. É um homem com virtudes, generosidades,mas creio que não sou capaz de anular minha felicidade, minha paz, minha auto-estima em favor dessa relação, que tende rápida e gradativamente a piorar. Temos uma linda bebê de oito meses. E é por isso que tenho tentado não desanimar dessa situação. É pouco sociável, e as suas relações melhores são aquelas com menos compromisso, amigos e amigas de rede social, de trabalho, etc. Essas pessoas são sempre melhores, tem mais valor, mais méritos pra obter sua atenção e afeto. Estou exausta, muito ferida. cheia de magoas e ressentimentos. Impossível encarar isso apenas como uma doença psicossomática,perdoar e sempre recomeçar. Já cogitamos terapia de casal, já iniciamos, mas nada persiste. Sei que não me trará uma solução mágica, mas quem sabe ouvir um outro olhar, um olhar mais distante do problema, e no entanto tão próximo dele.
Bjs
Carla

Wally disse...

Carla, já respondi seu email, OK?
Beijos

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...