Translate

10/04/2013

Os Mecanismos de Defesa


por: Prof. Chafic e Dr. David Rajz

Os Mecanismos de Defesa são importantes para nosso desenvolvimento emocional, uma vez que são ações que cuidam da integridade do Ego quando não conseguimos lidar com situações que consideramos ameaçadoras. 

Atuam num nível subconsciente ou inconsciente e são a solução que encontramos ao nível da consciência para resolver as angústias. Os mecanismos de defesa mais importante são:

Negação: O paciente não percebe o que acontece ou percebe e foge da realidade. Por exemplo, ao receber um diagnósico de doença séria.

Racionalização: Aqui a inteligência é usada para avalizar a "desculpa" que encontramos para lidar com a angústia.

Intelectualização: O paciente tudo sabe, leu tudo a respeito de suas neuras, sempre acompanha uma novidade surgida sobre o assunto.

Projeção: Que coloca nos outros o cerne de seus conflitos (como os homofóbicos, que possuem características homossexuais, as percebem, mas não as aceitam).

Sublimação: Desvio de ideias perturbadoras em direção a uma "via" aceitável para mascarar o que causa a repressão.

Introjeção: Procedimento um tanto oposto à projeção, porque tudo que agrada é introjetado.

Identificação: O indivíduo assimila um aspecto ou uma característica de outro e se transforma, total ou parcialmente, no outro. Pensei no personagem Dâmaso Salcede, de "Os Maias".

Formação Reativa: Quando o procedimento e os sentimentos externados são opostos aos verdadeiros impulsos, se os julgamos inconfessáveis.

Isolamento: Interrupção de contato, e para usar uma definição técnica, "ruptura das conexões associativas de um pensamento ou de uma ação".

Anulação: Ação que desfaz o dano que o paciente imagina que pode ser causado pelos seus mais profundos desejos.

Deslocamento: A famosa imagem de se aborrecer no trabalho e chutar o cachorro ao chegar em casa pela frustração não-resolvida.

Idealização: Atribuir a uma pessoa qualidades nem sempre existentes que a tornariam um ser especial.

Conversão: Resolver um conflito interior por meio de somatização.

Regressão: Voltar a um nível anterior de desenvolvimento quando a frustração devolve a pessoa a etapas já ultrapassadas.

Repressão: Esquecer ou recalcar um sentimento ou desejo inorportuno.

Substituição: O inconsciente encontra substituto para satisfazer, no imaginário, um desejo.

Fantasia: Situação mental que substitui um desejo que não pode se satifeito no real.Exemplo clássico a fantasia durante o ato sexual,usando outros parceiros imaginários.

Compensação: Quando uma "deficiência" é compensada por outro aspecto da personalidade passa a ser considerado um trunfo.

Expiação: É um processo psíquico em que o paciente precisa "expiar o erro" e quer "pagar pelo seu erro" imediatamente.

Resistência: Resistência ao trabalho terapêutico, onde o paciente não permite que venham à tona angústias esquecidas.

Transferência: Repetição, no momento presente, de atitudes emocionais da infância do paciente, em relação aos pais ou pessoas que o rodeavam.

Contratransferência: Resposta do terapeuta à transferência do paciente ou a atitude inconsciente do terapeuta perante o paciente.

Recalque: Aparente corte de sentimentos e desejos que continuam presentes na vida psíquica do paciente.

Vale lembrar que os mecanismos de defesa quando expostos ou percebidos devem ser acolhidos como coadjuvantes do tratamento, não olhados de forma negativa. São eles que "temperam" nossa sanidade. Sem um recalquezinho aqui, uma transparenciazinha ali, uma racionalizaçãozinha acolá, seríamos todos e, em especial as crianças, irremediavelmente neurotizados. 

3 comentários:

Lavínia  disse...

Adorei o post, muito informativo!
Bjs, Lavi.
acidia28.blogspot.com.br/

Silvio disse...

Excelente !!!

Eilan disse...

Muito interessantes estas informações!

Bjo,

http://borderline-girl.blogspot.com.br/

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...