Translate

30/03/2012

Transtorno de Personalidade Anti-Social

Caracteriza-se pelo padrão social de comportamento irresponsável, explorador e insensível constatado pela ausência de remorsos.

Essas pessoas não se ajustam às leis do Estado simplesmente por não quererem, riem-se delas, freqüentemente têm problemas legais e criminais por isso.

Mesmo assim não se ajustam. 
Freqüentemente manipulam os outros em proveito próprio, dificilmente mantém um emprego ou um casamento por muito tempo.

Aspectos essenciais 

-Insensibilidade aos sentimentos alheios
-Incapacidade de assumir a culpa do que fez de errado, ou de aprender com as punições.
-Atitude aberta de desrespeito por normas, regras e obrigações sociais de forma persistente.
-Estabelece relacionamentos com facilidade, principalmente quando é do seu interesse, mas dificilmente é capaz de mantê-los.
-Baixa tolerância à frustração e facilmente explode em atitudes agressivas e violentas.
-Tendência a culpar os outros ou defender-se com raciocínios lógicos, porém  improváveis.

29/03/2012

A Filha de Freud Matou Minha Insônia

Deitar na cama e não conseguir encontrar o botão OFF foi uma maldição que me controlou por mais de uma década.

Qualquer pessoa que já teve algum tipo de insônia sabe o terror que é querer dormir e não conseguir. 

É uma tortura psicológica que desencadeia dezenas de outros problemas, tanto mentais quanto emocionais... e inclusive físicos!

E assim eu vivi por quase 20 anos... controlada por uma maldição que então era controlada por drogas. E quando falo de drogas (medicamentos tarja preta), estou falando de drogas poderosas como o famoso Rohypnol, mais conhecido popularmente como Boa Noite Cinderela.

Enfim... depois de todo esse tempo, meu atual psiquiatra finalmente conseguiu arrancar todos os medicamentos que estavam me causando uma dependência drogativa terrível e que já não funcionavam mais, e restituir meu sono com um medicamento que não causa dependência e que passa longe de ser um hipnótico, e que na verdade é um anti-convulsivo.

O problema de tomar esse medicamento é que eu preciso de no mínimo 9 horas de sono! Mesmo que eu tome apenas 3 gotas! E mesmo dormindo por 9 horas, ainda assim durante o dia continuo um pouco sonolenta... nada exagerado, mas o sono continua lá...

Mas claro que pra quem ficava com o botão ON pressionado quase o tempo todo, esse medicamento foi como uma bênção derramada sobre a maldição que vinha me assombrando desde a puberdade.

Mas quem me libertou de fato foi ela, a filha de Freud.
Ao abraçar a psicanálise, os pensamentos psicóticos que não me permitiamdesligar começaram a ser desmontados.

Inicialmente eu precisava realizar um exercício diário utilizando uma Programação Psíquica Positiva, personalizada para mim por meu terapeuta, antes de dormir e que consistia na junção de mandalas com sons específicos.

Dentro de algumas semanas bastava a prática  do exercício; já não necessitava mais do medicamento para dormir. E passados mais ou menos dois meses, nem mesmo o vídeo se fez mais necessário. Trabalhando os conteúdos reprimidos em análise, a libertação se foi fazendo possível. Nenhum pensamento mais poderia perturbar o meu sono.

Agora eu durmo quando quero e como quero.
Nada me incomoda, nem no ambiente externo nem no interno.
Pode haver claridade, barulho, ausência de barulho...
Eu decido quando quero dormir.

A filha de Freud definitivamente matou minha insônia!

E isso, minha gente, não tem preço!!!

Wally

15/03/2012

Pa en Seun - Pai & Filho


I stand here alone by your grave
And I wish so much you were still here
That we could just talk, and let go of our pride
And I could just be your father.

I wanted only the best for you
But those words were just never said
And here where you lie, my son, I do not know
The time was too little to start over (begin again)

Tell me what a father says to his son
In you I have found life
I love you, you are my child
You are my child

Tell me how a father becomes so alone
It feels as though you were my only son
The Lord lent you to me
Your words turn constantly in my head
There is so much a father would like to ask
But someday you must also be a dad, my child
And then you will understand everything

As a father who would give his life
With his tears that would push back the sea
But here where you lie, my son
I know the time was too little
And nothing makes sense any more
Tell me how a father talks to his son
In You
In you I found life
I love you, you’re my child
You’re my child.


14/03/2012

Quando um border desiste de lutar...

Da série: Comentários que Merecem Destaque
Comentário feito nessa postagem aqui.

Espero de coração que consigam tratamento para esse transtorno. 

Mas vou contar minha experiencia com meu filho.
 
Apos três tentativas de suicidio em seis anos, ele faleceu aos vinte e nove anos, menos de um mes atrás vitima de suicidio por enforcamento.

Tentei de tudo. Psiquiatras, psicoterapias, centenas de remédios e nada resolveu.

Ele sempre me disse que não queria se curar. Que queria morrer.

Durante todas as tentativas, falhas internações, UTIs, lagrimas e dor, deixei muito claro o quanto o amava e meus braços estavam sempre abertos a ele.

O que me resta e faz levantar a cada dia é saber que ele sabia que eu o amava incondicionalmente, apoiava.

Ele me pediu que viva, que tome meus remédios, faça ginastica, me alimente... e é o que estou fazendo. Apenas esperando o momento de nos encontrarmos novamente.

Entao este é o meu conselho, de quem viveu na pele por anos o sofrimento de ver o sofrimento de meu filho:

Deixe sempre claro que o ama muito e que nunca o abandonará aconteça o que acontecer...

Síndrome do Pânico

Especialistas acreditam que 6% da população sofre com a Síndrome do Pânico.

As crises chegam a durar de 15 a 30 minutos e, em alguns casos, podem acontecer três vezes no mesmo dia.

Quem tem a Síndrome do Pânico deve procurar ajuda médica, que pode incluir tratamento com psicoterapeutas e medicação.

Assista ao vídeo!

video

09/03/2012

O que é a Linguagem do Corpo?

É um mecanismo de defesa do Inconsciente, de forma não verbal

As doenças e o formato do corpo revelam a história de vida de cada pessoa, quando observamos o funcionamento dos órgãos internos e o desenho do corpo e do rosto, analisamos seu caráter, suas tendências seus medos, vinganças, tristezas e alegrias.

Esse conhecimento é uma ciência milenar dos povos Egípcios onde os sumo sacerdotes diagnosticavam problemas físicos, mentais, psicológicos e espirituais das pessoas, para levá - la à cura através do auto conhecimento.

As guerras políticas e religiosas tentaram eliminar esse conhecimento das escolas e dos hospitais, e das famílias, mas empiricamente o conhecimento se propagou.

O homem adoece porque desconhece que é responsável pelo seu destino.

A doença é uma forma primária de expressão do que o indivíduo sente e pensa e uma forma de comunicação para aqueles que desconheçam o poder da auto-estima e do perdão

Quando se compreende o motivo alheio, o perdão é inevitável.

O verdadeiro perdão cura o corpo e o destino como se fosse um passe de mágica. A linguagem do corpo só revela para o consciente aquilo que o inconsciente esconde atrás de nossa ignorância.

08/03/2012

Invisible Children (Crianças Invisíveis)



Kony 2012 é um filme e campanha que visa tornar famoso Joseph Kony, e não para celebrá-lo, mas para angariar apoio para a sua prisão e estabelecer um precedente para a justiça internacional.

07/03/2012

O Meu Sonho é Ser Paraplégico

Da série: Comentários que Merecem Destaque
Comentário feito nessa postagem aqui.


Oi Wally tudo bem?
Bem, pensei que eu era a única pessoa do mundo que pensava desse jeito.

Eu infelizmente tenho esse pensamento de querer realmente ficar em uma cadeira de rodas.

Quando me imagino nessa situação quase chego a sentir "prazer" e alegria. Já tentei procurar ajuda mas acho que não tem solução mesmo.

Desde que sou pequeno tenho sonhos constantes em que eu estou em uma cadeira de rodas e não consigo sentir as pernas e movê-las.

Bom enquanto isso não acontece vou tetando parar de pensar nisso e viver a minha vida =)
um beijo,
psl.

04/03/2012

A Psicanálise e Eu - Infância Intocável

Uma vez quebrada a barreira da ignorância, a vontade de estudar mais sobre psicanálise cresceu.

Naveguei um pouco aqui e acolá, fui ficando cada vez mais interessada no assunto e a vontade de não apenas estudar mas também fazer análise foi tomando conta de mim.

Eu já tinha vencido algumas barreiras, mas ainda restava uma que era bem perturbadora e que vou chamar de barreira da infância intocável.

Essa barreira, na verdade, eu não quebrei antes de começar a fazer análise, eu não precisei.

Mas deixe-me começar do começo.

A minha barreira da infância intocável era uma barreira de concreto. Então podem imaginar a resistência dessa barreira!?!

E o que seria essa tal barreira da infância intocável?
Bem, a meu ver eu tive uma infância maravilhosa, como poucos têm o privilégio de ter.

Convivi com uma turma de primos mais ou menos na mesma faixa etária que a minha, morávamos todos em uma grande fazenda que pertencia a meu avô, a qual era dividida em sub-chácaras, habitávamos em total segurança, éramos cercados por uma natureza esplendorosa, caçávamos vagalumes, filhotes de sapos, péscavamos em uma lagoa, brincávamos na cerâmica que pertencia a meu avô, andávamos no barro quando chovia, tínhamos campo de vôlei e futebol... ou seja, pintávamos e bordávamos da maneira mais saudável que se podia imaginar.
Mexer nessa recordação, pra mim além de inaceitável, parecia ser algo profano!!!

Então porque minha infância foi adorável, eu não queria que NADA nem NINGUÉM tocasse nessas lembranças, então criei uma barreira para proteger essa memória.

E psicanálise tem que revolver o passado certo?
Errado!
Na verdade, a resposta correta é: Nem sempre!

E eu descobri isso meramente por acaso em um grupo de discussão no facebook onde também participava meu psicanalista.
Ele explicava pra alguém que há uma abordagem psicanalítica onde se trabalha apenas eventos do presente e passado recente.

Bingo!! Pensei!!
E foi quando eu consegui transpor a barreira da infância intocável sem ter que destrui-la.

Mal sabia eu que em menos de 4 meses a barreira se “auto-destruiria” e eu estaria divagando sobre minha infância, agora tocável, sem maiores problemas...

A Experiência Borderline

video

01/03/2012

O Descaso com a Depressão

A tristeza é uma das cinco emoções naturais aos seres humanos e se manifesta normalmente diante de situações que envolvem principalmente perda, desamparo, frustração, desapontamento, fracasso e/ou exclusão, rejeição.

Por outro lado, a depressão tem características neuroquímicas importantes e não depende de um evento gatilho para se manifestar.

Em vários países, de 3% a 11% da população em geral pode apresentar esse transtorno anualmente.

Muitas pessoas não buscam tratamento para Depressão por confundi-la com uma tristeza profunda

A causa da depressão é tida como multifatorial, isto é: converge vários fatores tais como o estilo de vida, o tipo de personalidade, a história pessoal e a predisposição genética

Não há um momento único ou específico em que a depressão comece.

Muitas pessoas apresentam sintomas depressivos na infância ou na adolescência. 

Há pacientes que após uma seqüencia de eventos traumáticos na idade adulta manifestaram a depressão.

Esta síndrome tem sido cada vez mais frequente em nossa sociedade, segundo afirma o psicólogo clínico e doutor em Neurociência e Comportamento pela USP, Julio Peres.

As pessoas precisam entender que Depressão é uma doença que requer tratamento especializado

Vale lembrar que a Depressão é a segunda causa de incapacidade no trabalho – a projeção é que, até 2020, seja a primeira da lista – e, ainda sim, apenas 10% das pessoas deprimidas recebem tratamento adequado.

São vários os tipos e subtipos de Depressão. E o diagnóstico dos estados depressivos deve considerar se os sintomas são primários ou secundários a traumas psicológicos, doenças, uso de drogas e medicamentos.

Fatores hormonais (como o funcionamento precário da tireóide ou desbalanceamento de outros hormônios) são variáveis que também devem ser consideradas para que não aconteça um falso diagnóstico.

No diagnóstico da depressão são considerados os sintomas psíquicos (tristeza, angústia, autodesvalorização, culpa, diminuição da capacidade de experimentar prazer nas atividades antes consideradas agradáveis, sensação de perda de energia, dificuldade de se concentrar ou de tomar decisões), fisiológicos (alterações do sono, alterações do apetite, redução do interesse sexual) e evidências comportamentais (retraimento/isolamento social, crises de choro, ideações/comportamentos suicidas, lentificação ou agitação motora expressivas).

As pessoas com Depressão precisam ser acompanhadas regularmente por profissionais especializados (psiquiatras e psicólogos).

Um episódio depressivo pode durar em média 20 semanas e a psicoterapia pode ser um dos caminhos para o tratamento; já que falar sobre as ocorrências que originaram a tristeza ameniza gradativamente a expressão emocional desregulada.

À medida que o indivíduo verbaliza suas angústias ao psicólogo, ele passa a ouvir a si mesmo de uma maneira diferenciada e a organização mental se configura.

Segundo Julio Peres, o paciente pode ser considerado em depressão quando apresenta cinco ou mais dos seguintes sintomas por duas semanas consecutivas (todos os dias ou quase todos os dias):

- Interesse ou prazer acentuadamente reduzidos.
- Humor deprimido (tristeza).
- Insônia ou hipersonia.
- Agitação ou retardo psicomotor.
- Fadiga ou perda de energia.
- Sentimento de inutilidade ou culpa excessiva.
- Capacidade reduzida de pensar ou concentrar-se.
- Pensamentos recorrentes de morte
- Ideação suicida.
- Perda ou ganho significativo de peso (apetite) sem estar em dieta.

No Brasil, segundo dados da divisão de saúde mental da OMS (Organização Mundial da Saúde), a prevalência da depressão na população é de 18%.
(fonte)

Manca de Sentimentos

Abatida e sem vigor
prossigo caminhando...
continuo arrastando os pés
pelo caminho
da dor

Calando
as vozes estranhas
que dizem
que não sou capaz
silenciando melodias funestas
que insistem em
me tirar a calma

E o ânimo
há tempos fugiu
indiferente às minhas súplicas
não se privou
da liberdade
e partiu

E
uma tal lepra me
consome a alma
me tornando
insensível
e entorpecida
ao toque da vida e
me levando à solidão

Porque o ignoto
que em mim jaz
me distancia
da minha própria paz
e cria
barreiras indefinidas
que me atordoam
a visão

Mas eu continuo
minha caminhada...
Sou manca de sentimentos
E cega de coração
Mas ainda consigo andar
Nem que seja ao toque
de um leve bruxulear...

Wally Osvanilda

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...