Translate

20/03/2013

Transtorno de Conversão


O paciente conversivo, como os histéricos de um modo geral, é extremamente sugestionável, demonstrando com isso seu clássico infantilismo e falta de maturidade da personalidade. 

Normalmente os afetos e relações objetais são bastante pueris nos histéricos, com predomínio da vida fantasiosa na tentativa de negar uma realidade frustrante e penosa.

A teatralidade dos histéricos é sempre marcante, ensaiando e interpretando papéis que acreditam adequados a eles. Por mais que lhe sejam dispensados carinhos a atenções, estes nunca são suficientes e insistentemente estão a reclamar que ninguém os entende. 

Ele não simula seus sintomas, não está enganando e não é caso de falcatrua. De fato o conversivo está sofrendo e percebendo subjetivamente seus sintomas.

Neste tipo de transtorno, sempre que o sintoma servir para o alívio de alguma emoção (medo, ansiedade, angústia, desespero, frustração, etc.), haverá um mecanismo chamado de Lucro Emocional Primário. Diz-se “primário” porque é dirigido ao benefício emocional da própria pessoa

Uma adolescente conversiva, por exemplo, diante de uma situação vivencial potencialmente ansiosa, como pode ser o caso de uma briga entre seus pais, recorre a uma síncope conversiva (desmaio). Com esse desmaio, certamente ela estará se afastando da situação traumática e se protegendo da ansiedade provocada pela briga dos pais.

Também um soldado com Transtorno Conversivo, diante da ansiedade produzida pelo conflito entre o medo do combate e a vergonha da fuga, poderá apresentar uma paralisia ou qualquer outra limitação neuromuscular; como deficiente físico, não terá de experimentar a ansiedade de saber-se um covarde já que, infelizmente, a natureza impediu sua participação no combate através de uma doença limitante de sua mobilidade. Nessa circunstância pode aparecer-lhe uma paralisia, por exemplo.

Num outro mecanismo psicodinâmico a pessoa conversiva obtém um Lucro Emocional Secundário, ou seja, um benefício junto aos espectadores. Ela conquista um suporte de aprovação, complacência ou compaixão do ambiente para com sua falha funcional ou para a evitação constrangedora da atividade que lhe é nociva

A mesma adolescente do exemplo acima, que manifestou uma síncope ao presenciar a briga de seus pais, despertará sentimentos de remorso nas pessoas responsáveis pela sua crise, juntamente com uma compaixão pelo seu estado deplorável e, inevitavelmente, receberá uma boa dose de carinho em seguida.
























ref: Psiqweb






4 comentários:

Naty disse...

nossa... qtos transtornos uma personalidade pode ter, não é?
Nunca tinha ouvida falar deste.

bjos,

naty

http://borderline-girl.blogspot.com.br/

Kaiê disse...

Adoro seu blog!!! Muito bem feito. Parabéns!!!

Anônimo disse...

Incrível como ler a verdade sobre si doi...e bem isso fuga, fragilidade, justificativa para não cumprir a tarefa, o exemplo do soldado é o meu travo os musculos não consigo falar nem me mover...carencia, odio reprimido...sou eu!!

Anônimo disse...

ME VI NESSE DIGNOSTICO A 1 ANO VOU DE MEDICO EM MEDICO SEM QUE NENHUM DIGA O QUE TIVE OU TENHO.SO SEI QUE TIVE QUE APRENDER A FALAR,ANDAR E COMER NOVAMENTE, AGORA ME DOPAM PRATICAMENTE O TEMPO TODO. ESSE TRANSTORNO FOI COMO SE FALASSEM DE MIM PARA MLM,E HORRIVEL SE SENTIR ASSIM SEM SABER QUANDO VOÇE VAI PARAR NOVAMENTE.NÃO SEI SE MEU CASO É MEDO,CULPA,REMORSO OU UM GRANDE VAZIO SENSAÇÃO DE QUE NADA MAIS IMPORTA OU TEM SIGNIFICADO. GOSTARIA DE SABER SE CONSEGUIREI VOLTAR NOVAMENTE ALGUM DIA QUEM SABE.

Postar um comentário

Visitas Recentes

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...